Consulta Pública - Planos de Cultura
Consulta Pública - Planos de Cultura Todos os temas
Os planos de cultura têm por finalidade o planejamento e a implementação de políticas públicas de longo prazo, voltadas à proteção e promoção da diversidade cultural brasileira. São importantes ferramentas de gestão para os Sistemas de Cultura

- Quais medidas devem ser adotadas para o monitoramento, avaliação e revisão sistemática do Plano Estadual de Cultura?

Para participar, é preciso ter cadastro no Portal da Assembleia de Minas.
- Você tem cadastro no Portal? Faça o login e participe!
- Não tem cadastro no Portal? Cadastre-se para então fazer o login.

Contribuições do tema: Planos de Cultura

Mostrando de 1 a 10 de 11 contribuições

Data Ordenar por data Contribuições Positivas Negativas
18/mai
19:22
Por Michelle Cristina Alves Silva | Flores de Jorge Cia Cênica | Âmbito Estadual | Uberaba/MG O Plano Estadual de Cultura precisa criar um espaço para que os inúmeros gestores e agentes de Minas Gerais, do Poder Público e da Sociedade Civil, em uma perspectiva regional (que seja um espaço virtual, porém, com encontros presenciais), a fim de não apenas estabelecer um documento teórico, mas que seja dinâmico e capaz de sondar se as proposições têm alcançado a prática das políticas culturais no município e na região. Incentivar a participação da sociedade, a exemplo desta consulta pública, para que todos tenham acesso ao plano estadual também é uma premissa básica, além de, por exemplo, a distribuição de cartilhas em instituições culturais e educativas.
Compartilhe:
Twitter Facebook
Permalink:

0
0
15/mai
12:44
Por José Oliveira Junior | Observatório da Diversidade Cultural | Âmbito Estadual | Belo Horizonte/MG Acordo de cooperação entre SEC e ALMG
Compartilhe:
Twitter Facebook
Permalink:

0
0
13/mai
18:01
Por Carlos Antônio Duarte da Cruz | Carabina filmes | Âmbito Estadual | Belo Horizonte/MG Abrir o acesso de pessoas físicas ao FEC, definido percentual de recursos que seriam destinados a elas.
Compartilhe:
Twitter Facebook
Permalink:

0
0
12/mai
08:57
Por Fernando Pinheiro Guimarães | Âmbito Estadual | Belo Horizonte/MG O mesmo proponente poderá ter projetos aprovados com intervalo mínimo de dois anos entre uma aprovação e outra.
Compartilhe:
Twitter Facebook
Permalink:

0
0
12/mai
08:56
Por Fernando Pinheiro Guimarães | Âmbito Estadual | Belo Horizonte/MG Descentralizar a distribuição da verba da cultura.
Compartilhe:
Twitter Facebook
Permalink:

0
0
12/mai
08:55
Por Fernando Pinheiro Guimarães | Âmbito Estadual | Belo Horizonte/MG Garantir a continuidade e o crescimento de investimentos em programas como o Filme em Minas, Música Minas, Cena Minas, Circula Minas.
Compartilhe:
Twitter Facebook
Permalink:

1
0
12/mai
08:54
Por Fernando Pinheiro Guimarães | Âmbito Estadual | Belo Horizonte/MG Possibilitar o acesso de pessoas físicas ao FEC
Compartilhe:
Twitter Facebook
Permalink:

0
0
12/mai
08:53
Por Fernando Pinheiro Guimarães | Âmbito Estadual | Belo Horizonte/MG Aumentar a porcentagem da renúncia fiscal destinada à Cultura.
Compartilhe:
Twitter Facebook
Permalink:

0
0
08/mai
19:29
Por Letícia Alvares | Âmbito Estadual | Belo Horizonte/MG Definir prazos de viabilização para as metas estipuladas em relação aos períodos de revisão do plano, a partir de critérios de razoabilidade.
Compartilhe:
Twitter Facebook
Permalink:

0
0
05/mai
18:01
Por José Moreira de Souza | Comissão Mineira de Folclore | Âmbito Estadual | Belo Horizonte/MG Há que insistir que sem Sistema Estadual de Informações qualquer Plano representa a vontade política de em um dado momento sem se expor a uma avaliação dos setores favorecidos ou desfavorecidos. Consequentemente, O Plano Estadual de Cultura deve determinar: 1. O que é competência do Estado - promover, apoiar, incentivar, alocar recursos, acompanhar - nessa esfera de "Planos de Cultura". 2. Explicitar quais agências são de interesse prioritário para o que se entende como "Saber Viver em Minas Gerais" e como as demais agências contribuem, desconhecem ou apoiam os objetivos prioritários dessa consciência espacial. 3. Qualquer que seja o plano, deve-se orientar por, pelo menos, dois eixos: a) o que se manifesta nesse Saber Viver e b) sob quais condições esse Saber é determinado. Tome-se como exemplo a questão "quilombola": um plano de cultura orientado por esse tema enfatizará ou não nosso saber viver entendendo que Minas Gerais teve a maior população de africanos, crioulos, e que herança de conflitos e convivência isso nos trouxe como lição de saber viver? Isto nos permite perguntar: Qual a importância de Chico Rei na construção de nosso imaginário de relações ditas étnicas?
Compartilhe:
Twitter Facebook
Permalink:

0
0


páginas 1/2
Ir para Ir para

Login

Entrar


Quantidade de contribuições

Todas: 11
Removidas pelo moderador (total): 0



Contribuições por tema














Contribuições mais apoiadas


1
Fernando Pinheiro Guimarães | Belo Horizonte/MG

Garantir a continuidade e o crescimento de investimentos em programas como o Filme em Minas, Música Minas, Cena Minas, C(...)