Consulta Pública - Consulta Pública Plano Estadual de Cultura
Consulta Pública - Consulta Pública Plano Estadual de Cultura O objetivo é recolher contribuições para o Fórum Técnico que discute o Plano Estadual de Cultura. Elas serão debatidas na etapa final do evento, entre 8 e 10/6/2016. A consulta é organizada em temas relacionados aos principais eixos de atuação do Estado na área da cultura:



As perguntas foram formuladas para estimular o participante no envio de suas sugestões. Cada participante é responsável pelo conteúdo de sua contribuição, que será publicada na íntegra, conforme os Termos de Uso e Política de Privacidade .

Para participar, faça seu cadastro no Portal da Assembleia. Se já for cadastrado, faça o login.

Links úteis:
Documento de Propostas do Fórum Técnico
Projeto de Lei nº 2.882/2015, que institui o Plano Estadual de Cultura.
Glossário de termos técnicos.


Últimas contribuições

Mostrando de 71 a 80 de 80 contribuições

Data Contribuições Temas
05/mai
17:34
Por José Moreira de Souza | Comissão Mineira de Folclore | Âmbito Estadual | Belo Horizonte/MG Tome-se como orientação: 1. Os cadastros elaborados para o "Censo Cultural de Minas Gerais" de 1993 .2. Na elaboração de indicadores, atente-se para o relatório "Experiência de Financiamento à Cultura em Municípios de Minas Gerais - Fundação João Pinheiro, 2007. 3. Que o sistema se constitua em três subsistemas: a) Gestão e normas. b) patrimônio material independentemente de ser tombado, c) patrimônio imaterial compreendendo todas as manifestações relevantes para afirmação da identidade do saber viver em Minas Gerais. Que os índices produzidos tenham como denominadores 1. áreas em quilômetros ou hectares, 1. população atendida ou alvo, total ou por qualificação. Que os numeradores contenham sempre informações sobre recursos alocados e projetos encaminhados aprovados e não aprovados. Que as informações sejam atualizadas anualmente. O sistema deve interagir sempre com as informações por município e com as do Sistema Nacional de Cultura.
Compartilhe:
Twitter Facebook
Permalink:

Sistema de Informações e Indicadores Culturais
5 contribuições
28/abr
11:01
Por Rafael Correia Rocha | ONG Narrativa da Imaginação | Âmbito Estadual | Uberlândia/MG Venho por meio desta, destacar um ponto de crescimento e validação no Plano Estadual de Cultura de Minas Gerais. Até onde tenho consciência, de acordo com os planos municipais de cultura de Patos de Minas e Uberlândia, o RPG (Role Playing Game - Jogo de Interpretação de Papéis) esta inserido como demanda. Este jogo atua em uma intercultura entre literatura, artes cênica e visuais, contemplando um eixo de desenvolvimento a todo Estado. O jogo consiste, na leitura de um cenário, seguida de sua representação em um processo de produzir ficção. Essa pratica foi desenvolvida sem ligação nenhuma com qualquer outro ramo da cultura, sendo uma manifestação única. Como pesquisador de RPG e ex-conselheiro municipal de Cultura de Uberlândia, proponho a inserção do RPG e jogos narrativos em geral como campo a ser inserido no novo Plano Estadual de Cultura. Para qualquer esclarecimento fico a disposição.
Compartilhe:
Twitter Facebook
Permalink:

Planos de Cultura
11 contribuições
26/abr
14:47
Por Christian Lourenço Garcia | Âmbito Estadual | Além Paraíba/MG Na minha opinião, FEC e LEIC deveriam ser unificados, transformando-se num grande mecanismo de fomento à Cultura, sem envolvimento de empresas, recebendo financiamento direto do estado, através do ICMS arrecadado, e também atendendo à Pessoas Físicas.
Compartilhe:
Twitter Facebook
Permalink:

Sistema de Financiamento à Cultura
22 contribuições
22/abr
11:29
Por José Oliveira Junior | Observatório da Diversidade Cultural | Âmbito Estadual | Belo Horizonte/MG Uma questão importante é estimular uma postura diferente por parte do poder público com relação aos membros de conselho de política cultural. Para isto, três pontos são importantes, em nosso entendimento: 1. O CARÁTER DO TRABALHO DOS CONSELHEIROS: Nivelar os membros de conselho de política pública aos agentes públicos não contribui em nada para a participação e em muitos casos afasta. O ideal é que haja uma recomendação para definir os membros de conselho como "agentes privados em colaboração com o poder público". 2. O ALCANCE DO ESCOPO DE ATUAÇÃO: Envolver os conselhos nas grandes questões das cidades. Assim, não considerar os conselhos como apêndice ou apenas legitimadores, para escolher entre opções já dadas, mas estimular a participação ativa dos conselheiros e das comunidades. 3. ESTIMULAR A ORGANIZAÇÃO DAS COMUNIDADES: De certo modo, o que é necessário é estimular a organização da sociedade civil e não a participação avulsa. Não obrigatoriamente apenas por meio da representação institucional, mas envolver as organizações pode contribuir para que decisivamente avancemos no fortalecimento dos conselhos enquanto instâncias de diálogo e pactuação.
Compartilhe:
Twitter Facebook
Permalink:

Conselhos de Política Cultural
6 contribuições
22/abr
11:21
Por José Oliveira Junior | Observatório da Diversidade Cultural | Âmbito Estadual | Belo Horizonte/MG É fundamental que se garanta a representação regional assim como se tem hoje a representação setorial. Porém, a constituição de fóruns regionais é uma saída também importante. E estes fóruns regionais podem atuar em conjunto com o conselheiro representante, podendo, por exemplo, participar da definição de prioridades anuais de perfis de projeto em sua região. Outra situação a ser lembrada: os conselhos municipais de política cultural podem ser espaço principal destes fóruns regionais. Desta forma podemos estimular sua constituição e atuação continuada.
Compartilhe:
Twitter Facebook
Permalink:

Conselhos de Política Cultural
6 contribuições
21/abr
02:03
Por Idalina Sales | Âmbito Estadual | São João del-Rei/MG Gostaria que fosse discutida a Lei 12.244 em que determina que as escola de todo o país venha ter biblioteca disponíveis nas escolas. Ao saber que MG é o estado que abriga o maior número de escola no país e me preocupo por verificar que pouco se fez para substituir sala de leitura por uma BIBLIOTECA. E o que tem feito para capacitar professores a gerencia BIBLIOTECAS por que certamente não teremos bibliotecários suficientes.
Compartilhe:
Twitter Facebook
Permalink:

Conselhos de Política Cultural
6 contribuições
19/abr
16:04
Por José Oliveira Junior | Observatório da Diversidade Cultural | Âmbito Estadual | Belo Horizonte/MG Sobre as propostas 84 a 88, relativas à formação, acreditamos que se possa encaminhar um programa regular que envolva as instituições de formação do próprio estado (UEMG, FJP e UTRAMIG), com destinação específica de recursos no orçamento do estado para o programa. Gestores municipais, gestores de grupos e associações artísticas, profissionais do setor precisam de capacitações com perfil diferente e o programa poderia, por exemplo, estabelecer que cada uma das três instituições atenda um destes perfis específicos.
Compartilhe:
Twitter Facebook
Permalink:

Formação de Gestores Culturais
4 contribuições
19/abr
15:04
Por José Oliveira Junior | Observatório da Diversidade Cultural | Âmbito Estadual | Belo Horizonte/MG Acreditamos ser fundamental o estímulo à realização de conferências de cultura em cada município do estado. As conferências intermunicipais sem a realização de conferências municipais limitam a participação da sociedade civil e podem não discutir as questões de cada município. É importante que se realizem conferências intermunicipais para estimular a integração regional, mas sem abrir mão da realização da conferência no próprio município.
Compartilhe:
Twitter Facebook
Permalink:

Conferências de Cultura
3 contribuições
19/abr
15:01
Por José Oliveira Junior | Observatório da Diversidade Cultural | Âmbito Estadual | Belo Horizonte/MG Sobre a proposta 39 “Contribuir para a preservação da diversidade étnica e cultural de Minas Gerais e para a disseminação de informações sobre o patrimônio cultural imaterial mineiro a todos os segmentos da sociedade.” >> A Diversidade Cultural e o Patrimônio Imaterial têm duas Convenções Internacionais diferentes e pensamos ser adequada, para melhor acompanhar a efetivação, a seguinte redação: a) mapear e contribuir para a proteção e promoção da diversidade cultural em Minas Gerais. b) mapear e promover o patrimônio imaterial do estado junto à toda sociedade.
Compartilhe:
Twitter Facebook
Permalink:

Direito à memória, patrimônio, identidades e diversidade cultural
4 contribuições
19/abr
14:56
Por José Oliveira Junior | Observatório da Diversidade Cultural | Âmbito Estadual | Belo Horizonte/MG Sobre a proposta 29 "Criar a Rede Estadual de Equipamentos Culturais, tendo como meta 90% dos espaços culturais identificados e atuando em rede." >> O texto não é muito claro sobre 1. Quais tipos de equipamentos culturais se refere (públicos, privados); 2. o percentual de 90% é em relação a qual conjunto? 3. Se não sabemos a quantidade, como podemos estabelecer que teremos 90% dos espaços identificados? Sugerimos a seguinte redação alternativa, dividida em dois elementos: a) mapear e registrar 100% dos equipamentos culturais públicos no estado. b) pelo menos 75% dos equipamentos mapeados atuando em rede.
Compartilhe:
Twitter Facebook
Permalink:

Direito à participação na vida cultural
6 contribuições


páginas 8/8
Ir para Ir para
Compartilhe:
Twitter Facebook

Login

Entrar


Quantidade de contribuições

Todas: 80
Removidas pelo moderador (total): 0



Contribuições por tema














Contribuições mais apoiadas


3
José Oliveira Junior | Observatório da Diversidade Cultural | Belo Horizonte/MG

Sobre as propostas 84 a 88, relativas à formação, acreditamos que se possa encaminhar um programa regular que envolva as(...)


2
José Oliveira Junior | Observatório da Diversidade Cultural | Belo Horizonte/MG

Criação de uma câmara de fomento no âmbito da SEC/CONSEC de modo que seja possível o compartilhamento de informações e a(...)


2
José Oliveira Junior | Observatório da Diversidade Cultural | Belo Horizonte/MG

O glossário disponibilizado no portal traz dois perfis de projetos: cidadania cultural e mercado. Entendemos que isto re(...)


1
José Oliveira Junior | Observatório da Diversidade Cultural | Belo Horizonte/MG

O fundo Estadual de Cultura pode ter perfis diferenciados de aprovação de projetos em anos alternados, de modo a amplia(...)


1
José Oliveira Junior | Observatório da Diversidade Cultural | Belo Horizonte/MG

Uma questão importante é estimular uma postura diferente por parte do poder público com relação aos membros de conselho (...)


1
José Oliveira Junior | Observatório da Diversidade Cultural | Belo Horizonte/MG

No caso de projetos de prefeituras a proposta é haver edital específico para o poder público, o qual deve ser voltado pa(...)