A ideia de criação de um calendário de luta para o ano de 2019 foi apresentada e apoiada pelos presentes

ALMG inicia preparativos para o Dia da Mulher 2019

Primeira reunião para planejamento das comemorações foi realizada na manhã desta terça-feira (27).

27/11/2018 - 14:20

Representantes de cerca de 30 entidades se uniram a deputadas e servidores da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) para dar início ao planejamento das atividades que vão marcar o Dia Internacional da Mulher 2019, comemorado em 8 de março. A reunião preparatória foi realizada na manhã desta terça-feira (27/11/18), no Edifício Tiradentes.

A presidente da Comissão de Defesa dos Direitos da Mulher, deputada Marília Campos (PT), fez um balanço das últimas conquistas da comissão e lembrou a recente aprovação do Projeto de Lei (PL) 5.203/18, que institui o Dia Estadual de Combate ao Feminicídio. Falou ainda das comemorações do ano passado, quando foi realizada uma audiência pública na Praça Sete, em Belo Horizonte.

Compareceram, também, à reunião, as deputadas eleitas Ana Paula Siqueira (Rede) e Laura Serrano (Novo). Todas as participantes discutiram conceitos e propostas para o evento do ano que vem. A professora aposentada Mírian Chrysthus, da ONG "Quem Ama Não Mata", defendeu que seja realizado um ato político e cultural, suprapartidário, que combine “razão” e “emoção”. Laura Serrano sugeriu que os temas “humanização do parto” e “depressão pós-parto” sejam considerados.

Representando o Consórcio Mulheres das Gerais, Ermelinda de Melo propôs a realização de uma exposição de fotos e vídeos, para retratar as principais atividades realizadas pela Comissão das Mulheres da ALMG. A deputada eleita Ana Paula Siqueira afirmou que o Relatório Final da Comissão Extraordinária das Mulheres 2017-2018, distribuído na reunião, poderia auxiliar nesse projeto.

Júlia Aguilar, da regional mineira da União Brasileira das Mulheres, propôs a criação de um calendário de luta para todo o ano de 2019 e foi apoiada por diversas mulheres.

Irlene Dias, do Centro Nacional de Resistência da Africanidade Brasileira, sugeriu a realização de rodas de conversas sobre direitos das mulheres nas comunidades e favelas. A defensora pública de Belo Horizonte, Samantha Mello Alves, comentou sobre violência contra as mulheres e a importância de iniciativas como essa.

Janaína Silva Melo, da Elo Mulheres/Rede Sustentabilidade, defendeu que a temática do emprego e empreendedorismo feminino. Ela afirmou que, segundo o Ipea, o desemprego é maior entre as mulheres e, considerando as que estão empregadas, a renda é menor, na comparação com homens que ocupam o mesmo cargo.

Parceria – A deputada Marília Campos e várias outras participantes lembraram a importância de prefeituras e câmaras municipais, além das entidades, se unirem à Assembleia para celebrar a data. Durante a reunião, ganhou força a ideia de realizar atividades em vários dias ou meses e não apenas no próximo dia 8 de março.

O grupo se reúne novamente para reuniões preparatórias nos dias 4 e 11 de dezembro, às 9 horas, na ALMG. O objetivo é dar continuidade à formatação das atividades do Dia Internacional da Mulher 2019.