Cartilha Sempre Vivas

Rede de proteção à mulher vítima de violência em MG Rede de proteção à mulher vítima de violência em MG

Informe-se sobre sobre a Lei Maria da Penha e saiba como pedir ajuda.

Notícias

27/05/2022

Representatividade marca plenária do Sempre Vivas 2022

Reunidas no Plenário, espaço tipicamente masculino, 77 mulheres contaram suas lutas e cobraram mais espaço na política.

banner-664x100-sempre-vivas

Banner-664x100-pós-evento-Sempre-Vivas

Realizado

Sempre Vivas - Mulheres e Política: por representatividade, justiça e respeito
Início: 08/03/2022 Término: 27/05/2022

Atividades gratuitas para dar visibilidade à luta das mulheres por direitos. 

Iniciativa da Assembleia Legislativa de Minas Gerais, por meio da Comissão de Defesa dos Direitos da Mulher, em parceria com coletivos, entidades e órgãos.

Receba notícias por e-mail

Objetivos

Ao longo dos anos, as mulheres alcançaram muitas conquistas, como leis que buscam combater a discriminação e a violência e garantir a igualdade de direitos. Essas leis, no entanto, nem sempre são cumpridas na prática, seja pela falta de delegacias e de serviços de atendimento ou pelo machismo que ainda persiste na nossa sociedade, inclusive em instituições que deveriam assegurar os direitos das mulheres.

A situação se agrava, no caso das mulheres periféricas, do interior e da zona rural, já que a maioria dos serviços se concentram na Região Metropolitana de Belo Horizonte e a qualidade do atendimento nesses locais, muitas vezes, é pior do que na capital. E também no caso das mulheres negras, quilombolas, indígenas e LGBTQIA+, que, além destas dificuldades de acesso, enfrentam outros tipos de vulnerabilidades e preconceitos.

“Justiça e direitos: por que é tão difícil para as mulheres alcançá-los?” Esta é a grande pergunta que o Sempre Vivas 2022 traz para discussão, destacando, em ano eleitoral, a atuação política como um importante caminho para a conquista e a efetivação dos direitos, e para que todas as mulheres possam de fato ser respeitadas em nossa sociedade.

“Mulheres e Política: por representatividade, justiça e respeito” é o slogan em 2022 do evento, realizado todos os anos pela Assembleia de Minas, em parceira com coletivos, entidades e órgãos ligados à pauta feminina, para marcar o Dia Internacional da Mulher, comemorado em 8 de março, e dar visibilidade à luta das mulheres.

O agravamento de problemas como o desemprego, o isolamento, a violência e o adoecimento físico e mental, como consequência da pandemia, também serão tema da discussão.

Entidades parceiras

Veja a lista das entidades parceiras na preparação e realização do evento:

  • Associação de Mães, Pais e Responsáveis da Rede Pública de Educação (Ampare)
  • Associação dos Escrivães da Polícia Civil do Estado de Minas Gerais
  • Associação dos Farmacêuticos do Vale do Aço
  • Associação Estadual de Defesa Ambiental e Social (Aedas)
  • Associação Mineira de Municípios (AMM)
  • Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB)
  • Coletivo Clã das Lobas
  • Comissão Estadual de Mulheres Trabalhadoras Rurais da Federação dos Trabalhadores na Agricultura do Estado de Minas Gerais (Fetaemg)
  • Comissão Local de Assistência Social da Regional Leste de Belo Horizonte 
  • Comunidade Mariano de Abreu
  • Confederação Brasileira de Trabalhadores Policiais Civis
  • Conselho da Mulher Empreendedora da Aciapi e CDL de Ipatinga
  • Conselho Estadual da Mulher (CEM)
  • Conselho Estadual de Saúde de Minas Gerais (CES-MG)
  • Conselho Municipal dos Direitos da Mulher de Timóteo
  • Conselho Municipal dos Direitos da Mulher de Belo Horizonte
  • Conselho Municipal dos Direitos da Mulher de Contagem
  • Conselho Regional de Psicologia de Minas Gerais 4a Região (CRP-MG)
  • Consórcio Regional de Promoção da Cidadania Mulheres das Gerais
  • Coordenadoria Estadual de Políticas para as Mulheres da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social (Sedese)
  • Defensoria Pública de Minas Gerais (DPMG)
  • Diretoria de Política para as Mulheres da Prefeitura Municipal de Belo Horizonte
  • Diretoria de Prevenção Comunitária e Proteção à Mulher da Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública (Sejusp)
  • Diretoria Regional de Montes Claros da Sedese
  • Federação das Comunidades Quilombolas de Minas Gerais
  • Federação Interestadual dos Trabalhadores em Estabelecimento de Ensino (Fitee)
  • Fórum Mineiro de Conselheiros e Ex-Conselheiros Tutelares
  • Fórum de Mulheres do Mercosul Capítulo Brasil
  • Gabinete do Deputado Federal Rogério Correia
  • Instituto Amadas
  • Levante Popular da Juventude
  • Marcha Mundial das Mulheres (MMM)
  • Mães pela Liberdade-MG
  • Movimento Se Ame Cidadão
  • Movimento das Mulheres Policiais do Brasil
  • Nova Central Sindical de Trabalhadores
  • Organização Vida Viva
  • Polícia Civil do Estado de Minas Gerais (PCMG)
  • Polícia Militar de Minas Gerais (PMMG)
  • Programa de Ensino, Pesquisa e Extensão em Crimes Contra a Mulher (CRIM-UFMG)
  • Programa Mediação de Conflitos da Subsecretaria de Prevenção à Criminalidade da Sejusp
  • Projeto Diálogos pela Liberdade
  • Rede de Enfrentamento à Violência contra a Mulher de Minas Gerais
  • Rede de Enfrentamento à Violência contra a Mulher do Alto Jequitinhonha
  • Rede de Enfrentamento à Violência contra a Mulher de Juiz de Fora
  • Secretaria Municipal de Educação de Belo Horizonte (SMED)
  • Secretaria de Mulheres do PCdoB de Minas Gerais
  • Secretaria Municipal de Mulheres do PT-BH
  • Secretaria Municipal de Segurança e Prevenção de Belo Horizonte (SMSP)
  • Sindicato dos Servidores da Polícia Civil de Minas Gerais
  • Sindicato dos Trabalhadores da Educação Municipal do Município de Divinópolis
  • Sindicato dos Trabalhadores da Indústria Energética de Minas Gerais (Sindieletro-MG) 
  • Sindicato dos Professores do Estado de Minas Gerais (Sinpro Minas)
  • União Brasileira de Mulheres (UBM)

PROGRAMAÇÃO - MAIO

27 de maio

:: 14 horas – Plenária Sempre Vivas 2022 - A importância da representatividade das mulheres na política

77 mulheres, que pretendem representar a diversidade das mulheres das diferentes regiões do Estado de Minas Gerais, em suas lutas por direitos. 

Local: Plenário 

:: 9 às 18 horas – Feira Mulheres de Minas 

Exposição de produtos de economia solidária, culinária, arte e artesanato, feitos por mulheres mineiras ou que vivem em Minas. 

Local: Espaço Democrático José Aparecido de Oliveira
Palácio da Inconfidência - sede da Assembleia Legislativa de Minas Gerais
Rua Rodrigues Caldas, 30. Santo Agostinho, Belo Horizonte (MG)

 

PROGRAMAÇÃO - MARÇO (realizada!)

Ciclo de Debates Virtual:
Sempre Vivas - Mulheres e política: por representatividade, justiça e respeito 

8 de março

:: 9 horas – Abertura

:: 10 horasPainel 1 – Justiça e Direitos: por que é tão difícil para as mulheres alcançá-los?

Wânia Pasinato
Doutora em sociologia pela Universidade de São Paulo (USP) e consultora em políticas públicas de enfrentamento da violência contra mulher

Benilda Brito
Pedagoga, mestre em gestão social, consultora da ONU Mulheres e do Pacto Global da ONU, e ativista da Rede Malala Fund e do Movimento de Mulheres Negras N´Zinga

Testemunhos
- Cecília Bié
- Daniela Schanen, autora do livro "Eu disse não - Uma história real de amor, abuso e superação" 

Perguntas do público (participação online)

:: 12h - Encerramento

Perdeu ao vivo? Assista no Youtube!

9 de março

MANHÃ

:: 9 horasPainel 2 – Violência e machismo institucional

Claudia Maia
Pós-doutora em História, professora e coordenadora do Grupo de Pesquisa Gênero e Violência da Universidade Estadual de Montes Claros (Unimontes)

Gláucia Matos Adeniké
Mulher negra, educadora e promotora legal popular, coordenadora do Comitê da Marcha Mundial de Mulheres de Uberlândia e membra do Observatório da Mulher de São Paulo

Wânia Guimarães Rabêllo de Almeida
Professora de direitos humanos e coordenadora do Núcleo da Diversidade da Faculdade Milton Campos, membra da Associação Brasileira de Juristas pela Democracia (ABJD)

Kíria Orlandi
Delegada titular da Delegacia de Atendimento à Mulher de Diamantina e membra fundadora da Rede de Enfrentamento à Violência contra a Mulher do Alto Jequitinhonha

Jô Moraes
Feminista e militante social, membra da Comissão Política Nacional do PCdoB. Foi presidente da Comissão Parlamentar Mista de Inquérito do Congresso Nacional sobre Violência de Gênero e Coordenadora da Bancada Feminina na Câmara dos Deputados. Autora do livro Esta Imponderável Mulher e da separata Vivência e Reflexões sobre a Trajetória Feminina. Exerceu mandatos de vereadora em BH, deputada estadual e deputada federal.

Perguntas do público (participação online)

:: 12h - Intervalo


TARDE

:: 14 horas – Painel 3 – Pandemia: consequências e desafios intensificados a enfrentar

Denise Pimenta
Doutora em Ciência da Saúde pela Fiocruz Minas

Bárbara Ravena
Graduanda em Ciências Políticas e presidente estadual da União Brasileira de Mulheres de Minas Gerais (UBM-MG)

Lucimar Martins
Quilombola e trabalhadora da agricultura familiar, representa a Secretaria da Mulher trabalhadora da CUT MG e a Secretaria de Gênero da Federação dos Trabalhadores e das Trabalhadoras na Agricultura Familiar do Estado de Minas Gerais (Fetraf-MG)

Lisandra Espíndula Moreira
Doutora em Psicologia pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) e professora dos cursos de psicologia e direito e do Programa de Pós-Graduação em Psicologia da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG)

Soraia Mendes
Doutora em Direito, Estado e Constituição pela Universidade de Brasília (UNB), mestre em Ciência Política pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) e pós-graduada em Direitos Humanos pelo Instituto de Filosofia Berthier (Ifibe). 

Perguntas do público (participação online)

:: 17 horas - Encerramento

Perdeu ao vivo? Assista no Youtube!

 

 


 

PLENÁRIA SEMPRE VIVAS
A Importância da Representatividade das Mulheres na Política
Perdeu ao vivo? Assista ao vídeo.

Data: 27/5/22
Local: Plenário da ALMG
Horário: 14 horas
Como participar? Presencialmente (galeria superiores do Plenário serão abertas) ou remotamente (transmissão ao vivo pelo Portal ou pela TV Assembleia)

De acordo com a última Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua – PNAD –, realizada em 2019, as mulheres representam 51,8% da população brasileira. No entanto, elas são apenas 12% do Senado, 15% da Câmara de Deputados e 11,68% da Assembleia de Minas

A mesma situação se repete no Legislativo e Executivo municipais: apenas 16% dos vereadores e 12% dos prefeitos do Brasil são mulheres*

Mostrar a importância da participação e da representação das mulheres na política é um dos principais objetivos da plenária de 77 mulheres idealizada para o encerramento do Sempre Vivas 2022, que, em ano eleitoral, tem como tema “Mulheres e política: por representatividade, justiça e respeito”

Um ato carregado de simbolismo: promover a reunião de 77 mulheres, que pretendem representar a diversidade das mulheres das diferentes regiões do Estado de Minas Gerais, em suas lutas por direitos. 

(*Folha de S. Paulo)

Objetivos

Objetivo geral

•   Mostrar a importância da participação e da representação das mulheres na política.

Objetivos específicos

•   Representar a diversidade das mulheres das diferentes regiões do Estado de Minas Gerais.

•   Elaborar e encaminhar ao Legislativo, Executivo, Judiciário, Ministério Público e Defensoria Pública uma “Carta das Mulheres de Minas” com algumas das principais problemáticas e demandas das mulheres do nosso Estado.

Composição da Plenária

A plenária será composta pelas nove deputadas da ALMG e outras 68 representantes, indicadas pela Comissão Organizadora do evento, contemplando os critérios de diversidade territorial, racial, de gênero, de faixa etária e de área de atuação.

PARTICIPANTES

  • Ãgohó Pataxó Hã-hã-hãe – mulher, mãe, avó, professora e cacica da Aldeia Katurãma, de São Joaquim de Bicas 
  • Alessandra Martins Cordeiro – mulher negra e ativista integrante do Movimento Nacional da População em Situação de Rua 
  • Aline Risi – escrivã da Polícia Civil do Estado de Minas Gerais, diretora da Confederação Brasileira de Trabalhadores Policiais Civis – Cobrapol – e assessora do Sindicato dos Servidores da Polícia Civil do Estado de Minas Gerais – Sindpol 
  • Ana Maria – professora 
  • Ana Paula Lemes de Souza – advogada, ambientalista, escritora e doutoranda em direito pela Faculdade Nacional de Direito da Universidade Federal do Rio de Janeiro 
  • Arlete Alves de Almeida – pedagoga e educadora popular, associada ao Movimento do Graal no Brasil 
  • Bárbara Ravena – graduanda em ciências políticas e presidente estadual da União Brasileira de Mulheres de Minas Gerais – UBM-MG
  • Bruna Camilo – professora e cientista política 
  • Carmen Teixeira Soares e Lima – educadora, supervisora pedagógica da Escola Estadual Barão de Macaúbas, em Belo Horizonte, e presidente do Sindicato dos Profissionais de Especialista em Educação do Ensino Público de Minas Gerais – Sindespe-MG 
  • Cláudia Maciel Ferreira – dona de casa 
  • Claudilene da Costa Ramalho – membra do Grupo de Mulheres Organizadas do Mucuri – Gmom – e do Observatório dos Direitos das Mulheres dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri, e professora do curso de serviço social da Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri – Campus do Mucuri 
  • Cleide Maria Santos Vieira – catadora de materiais recicláveis na Cooperativa de Material Reciclável da Pampulha, filiada à Redesol, e mobilizadora social 
  • Daisy Ferrarezi Moura – tenente-coronel, comandante da 1ª Cia. de Prevenção à Violência Doméstica da Polícia Militar de Minas Gerais 
  • Denise de Paula Romano – coordenadora-geral do Sindicato Único dos Trabalhadores em Educação de Minas Gerais – Sind-UTE/MG – e dirigente da CUT Minas 
  • Dirlene Marques – professora, militante feminista dos movimentos sociais e integrante da Rede Feminista de Saúde, Direitos Sexuais e Direitos Reprodutivos e do 8M Unificado da Região Metropolitana de Belo Horizonte 
  • Edwiges Lempp – administradora e coordenadora-geral do Coletivo Mães pela Liberdade 
  • Elivânia Felícia Braz – advogada, presidente da Associação Mulheres em Ação de João Monlevade – AMA – e vice-presidente da 75ª Subseção da OAB-MG 
  • Elza Melo – professora titular da Faculdade de Medicina da Universidade Federal de Minas Gerais e coordenadora do Programa Para Elas – Por Elas, Por Eles, Por Nós 
  • Fernanda Fernandes – mãe de vítima de feminicídio 
  • Francielly Vieira Cabral – tatuadora, artista e grafiteira 
  • Gilsa Santos – professora e vereadora 
  • Grazielle Mendes – jornalista, servidora da Assembleia Legislativa de Minas Gerais – ALMG – e representante do Coletivo de Mulheres da ALMG 
  • Hannah Abranches – ilustradora e quadrinista 
  • Helen Perrella - coordenadora da Rede de Enfrentamento à Violência Contra a Mulher do Alto Jequitinhonha e secretária da União Brasileira de Mulheres de Minas Gerais -- UBM-MG.
  • Iara Pimentel – professora e vereadora 
  • Isabel Cristina de Lima Lisboa – integrante do Coletivo Municipal de Mulheres do PT-BH e da Rede de Enfrentamento à Violência Contra a Mulher de Minas Gerais 
  • Isaura Madalena – conselheira de saúde com formação em gestão pública e aposentada na área de educação 
  • Jade – trabalhadora sexual, fundadora e coordenadora do Coletivo Clã das Lobas e integrante da Comissão IST/AIDS 
  • Joana Maria de Jesus Villela – líder comunitária 
  • Joeliza Aparecida de Brito Almeida – representante do Centro de Agricultura Alternativa do Norte de Minas – CAA-NM – e do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Riacho dos Machados 
  • Juliana Normand – advogada com atuação no enfrentamento à violência doméstica contra mulher 
  • Karina Morais – historiadora e militante da Marcha Mundial das Mulheres 
  • Keila Jacqueline – liderança comunitária que atua no atendimento a crianças e no suporte às mães da comunidade que precisam deixar seus filhos para trabalhar 
  • Laíssa Gomes de Miranda – militante do Movimento dos Atingidos por Barragens 
  • Leiliane Laura de Almeida – vereadora na cidade de São Domingos das Dores, líder de bancada partidária e agricultora 
  • Letícia Imperatriz – coordenadora adjunta da Aliança Nacional LGBTI+ em Minas Gerais 
  • Lu Baobá – mestra de capoeira, bacharel em educação física, pós-graduada em gestão de projetos sociais e diretora de projetos da Associação Amaê Berimbarte 
  • Lucienne Andréia – missionária 
  • Makota Celinha – coordenadora-geral do Centro Nacional de Africanidade e Resistência Afro-brasileira – Cenarab 
  • Marcela Viana – educadora social e redutora de danos
  • Márcia Araújo – poeta e ativista cultural 
  • Maria Consentino – juíza aposentada, advogada especialista na defesa da mulher, professora e escritora 
  • Maria das Graças do Valle Librelon – mãe, avó, servidora pública aposentada e artesã
  • Maria Edna Fernandes – estudante de direito, diretora de Relações Institucionais do Diretório Central dos Estudantes da Universidade Federal de Juiz de Fora e ex-aluna do Parlamento Jovem de Minas 
  • Maria Florguerreira – Txahá Xohã – indígena da etnia Pataxó, educadora intercultural indígena, plantadora de árvores e engravidadora de sonhos 
  • Maria Helena Fornoga dos Santos – pastora 
  • Maria Rita Ornelas Murta – diretora da Escola Estadual Guimarães Rosa 
  • Maria Zilah de Mattos – assistente social e integrante da Comissão Pastoral da Terra – CPT-MG – e de movimentos sociais do campo 
  • Marina Dias Nunes – estudante do curso de engenharia agronômica, filha de agricultores familiares e colaboradora do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Jordânia 
  • Marlene Geraizeira – trabalhadora rural e geraizeira 
  • Marli Beraldo – presidente da Associação de Catadores de Materiais Recicláveis de Sarzedo – Acamares 
  • Melissa Maria – adolescente 
  • Miriam Aprigio – quilombola, historiadora, professora e representante da Rede Quilombola da Região Metropolitana de Belo Horizonte 
  • Neila Batista – assistente social e dirigente partidária 
  • Patrícia Queirós – mulher trans e profissional da beleza 
  • Paula Rita Bacellar Gonzaga – psicóloga e professora do Departamento de Psicologia e do Programa de Pós-Graduação em Psicologia da Universidade Federal de Minas Gerais 
  • Rafaela Cunha Sena – advogada, vice-presidente da 12ª Subseção da OAB-MG e presidente da Comissão da Mulher Advogada da 12ª Subseção da OAB-MG 
  • Solange Simões - professora da Universidade do Leste de Michigan, copresidente eleita do Comitê de Pesquisa Mulher, Gênero e Sociedade da Associação Internacional de Sociologia e delegada da organização Sociólogas pelas Mulheres na Sociedade no Conselho Econômico e Social das Nações Unidas – Ecosoc-ONU 
  • Stella Ferreira – vice-presidenta da Associação Nacional de Pós-Graduandas(os) – ANPG – e covereadora da ColetivA BH 
  • Suzana Villas Bôas Micska – artesã 
  • Thaís Cláudia D'Afonseca – advogada e professora de direito do trabalho da PUC Minas 
  • Valéria Carneiro – agricultora assentada da reforma agrária 
  • Valéria Morato – presidenta da Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil – CTB-MG – e do Sindicato dos Professores de Minas Gerais – Sinpro Minas 
  • Waldicéia Reis – radialista 
  • Yany Mabel – jornalista e gestora cultural 

Carta das Mulheres de Minas

 A carta foi elaborada a partir da resposta das 68 representantes indicadas à seguinte pergunta: “Qual o principal problema ou demanda e, se possível, proposta de solução que o segmento de mulheres que você representa gostaria de encaminhar aos poderes públicos?” 

Documento na íntegra


FEIRA MULHERES DE MINAS

Exposição de produtos de economia solidária, culinária, arte e artesanato, feitos por mulheres mineiras ou que vivem em Minas. 

Objetivo: Divulgar o talento das mulheres do nosso Estado e gerar renda, após um período de dificuldades no trabalho em função das restrições impostas pela pandemia. 

Data: 27 de maio 
Horário: 9 às 18 horas 
Local: Espaço Democrático José Aparecido de Oliveira
Palácio da Inconfidência - sede da Assembleia Legislativa de Minas Gerais
Rua Rodrigues Caldas, 30. Santo Agostinho, Belo Horizonte (MG)

Compartilhe o evento no Facebook com a sua rede de amigos!


CICLO DE DEBATES 
Sempre Vivas - Mulheres e política: por representatividade, justiça e respeito 

O evento, realizado nos dias 8 e 9 de março de 2022, marcou o Dia Internacional da Mulher. Autoridades e especialistas discutiram a importância da atuação política como caminho para a conquista e a efetivação de direitos e para que todas as mulheres possam de fato ser respeitadas. O agravamento de problemas como o desemprego, o isolamento, a violência e o adoecimento físico e mental, como consequência da pandemia de Covid-19, também foram tema da discussão.

Painel 1 – Justiça e Direitos: por que é tão difícil para as mulheres alcançá-los?

Painel 2 – Violência e machismo institucional e Painel 3 – Pandemia: consequências e desafios intensificados a enfrentar



Notícias

27/05/2022

Representatividade marca plenária do Sempre Vivas 2022

Reunidas no Plenário, espaço tipicamente masculino, 77 mulheres contaram suas lutas e cobraram mais espaço na política.

23/05/2022

Assembleia Legislativa realiza plenária do Sempre Vivas 2022

Encontro, nesta sexta-feira (27), vai contar com a participação de 77 mulheres das diferentes regiões de Minas Gerais.



Áudios

23/05/2022 16:05

Plenária Sempre Vivas reúne mulheres no Plenário

Dia 27/05/2022 às 14h!. Não deixe de visitar a Feira Mulheres de Minas!

00:01:09 | Download (2157kb)

23/05/2022 07:00

Plenária Sempre Vivas debate a participação da mulher na política

Evento reúne nove deputadas estaduais e outras 68 mulheres para representar a diversidade regional, cultural, etária, profissional e de gênero no Estado.

00:02:45 | Download (2589kb)

ALMG nas redes sociais

Monitoramento

Durante as discussões do Ciclo de Debates virtual do evento, foram destacados alguns problemas e algumas demandas, por parte das mulheres, que se tornaram objetos de sete requerimentos elaborados e aprovados pela Comissão de Defesa dos Direitos da Mulher. Este boletim monitora os desdobramentos desses requerimentos.