Denúncia relaciona retratação distorcida da mulher e violência doméstica - Arquivo ALMG

Comissão debate a representação das mulheres na mídia

Abordagem da pesquisa de infidelidade feminina em Ibirité, considerada irresponsável, será um dos tópicos do debate.

06/07/2018 - 08:47

A representação das mulheres na mídia, feita, muitas vezes, com caráter ofensivo, será tema de debate da Comissão Extraordinária das Mulheres da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) nesta segunda-feira (9/7/18), às 14h30, no Plenarinho IV.

O requerimento é da presidente da comissão, deputada Marília Campos (PT), para quem a mídia tradicional, de uma maneira geral, desqualifica a mulher. Um dos temas do debate será a pesquisa de infidelidade em Ibirité (RMBH), divulgada, segundo a parlamentar, de forma irresponsável.

O levantamento foi realizado em 2017 pelo site Ashley Madison, especializado em encontros extraconjugais, com mais de 54 milhões de membros em todo o mundo. Ibirité foi apontada como cidade “líder” em traição, com destaque para as mulheres, o que foi explorado pela mídia.

O gabinete de Marília Campos recebeu, inclusive, denúncia de agressão doméstica contra uma mulher de Ibirité, após a divulgação da pesquisa. Isso teria sido causado, na visão da parlamentar, pela forma distorcida com que o conteúdo foi tratado.

Livro – Uma das convidadas da audiência é Rachel Moreno, autora do livro “A Imagem da Mulher na Mídia”. Casos mais recentes e até com implicações eleitorais, como a entrevista da presidenciável Manuela d’Ávila (PCdoB) no Programa Roda Vida, da TV Cultura, serão abordados.

Experiências como o programa Mulhere-se, da Rede Minas, feito de forma colaborativa e em rede, também serão tratadas. A presidenta da instituição, Luiza Moreira Arantes de Castro, estará presente, além de representantes da academia e dos jornalistas.

Consulte a lista completa de convidados.