O encontro foi acompanhado pelos deputados Emidinho Madeira, Fabiano Tolentino, Antônio Carlos Arantes e Nozinho

Secretário defende mobilização da cadeia produtiva do leite

Em encontro com deputados de comissões da ALMG nesta quinta (31), parceria com o Legislativo também foi destacada.

31/03/2016 - 13:58

O envolvimento de todos os setores da produção do leite foi defendido pelo secretário de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento de Minas Gerais, João Cruz Reis Filho, na manhã desta quinta-feira (31/3/16), em visita das Comissões de Desenvolvimento Econômico e de Agropecuária e Agroindústria da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG). Ele afirmou que o governo estadual tem dedicado todos os esforços para incentivar este segmento econômico no Estado, mas, sozinho, é incapaz de promover transformações. Nesse sentido, reforçou que um dos caminhos é a parceria com a ALMG.

Segundo o secretário, o envolvimento do Parlamento mineiro é fundamental, tanto na aprovação de projetos quanto na qualificação de emendas parlamentares. “O Executivo precisa se apoiar no Legislativo e seguir seu trabalho”, disse. E ressaltou: “Agropecuária é uma vocação mineira. E o leite e café são importantes para Minas”. João Cruz Reis reconheceu ainda que a produção de leite em Minas sofre com o acirramento da competitividade com outros Estados e aumento dos custos dos insumos, como soja e milho. Ele, como produtor de leite da Zona da Mata, reconhece as dificuldades e o esforço árduo, com margens de lucro estreitas ou, muitas vezes, prejuízo.

O encontro foi acompanhado pelos deputados Fabiano Tolentino (PPS), Antônio Carlos Arantes (PSDB), Emidinho Madeira (PSB) e Nozinho (PDT), autores do requerimento para a visita.

Deputados apresentam demandas do setor

Os deputados explicitaram ao titular da Seapa os requerimentos aprovados durante audiência pública realizada na ALMG, em 25 de fevereiro último, quando foram discutidas as dificuldades na cadeia produtiva do leite. O presidente da Comissão de Desenvolvimento Econômico, Antônio Carlos Arantes, pediu atenção especial sobre as dificuldades de adequação dos produtores mineiros com relação à contagem de células somáticas (CCS) do leite (um indicativo de contaminação), de acordo com Instrução Normativa 62, do Ministério de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). Ele também cobrou apoio para a criação em Minas do Conseleite, entidade que congregaria os produtores.

Com relação à instrução normativa, João Cruz Reis Filho disse que ela não deve ser prorrogada, mas os produtores mineiros precisam ficar atentos, já que perderam em qualidade do leite para outras regiões, como o Sul do País. Sobre a criação do Conseleite, afirmou que é favorável à ideia e que está à disposição para auxiliar no estabelecimento de regras e incentivos ao segmento.

O presidente da Comissão de Agropecuária e Agroindústria, Fabiano Tolentino, ponderou que o setor teve avanços recentes, mas caminha para um retrocesso em dez anos. Lembrou que a produção do leite deve crescer 25% nesse período, enquanto a previsão para outros setores, como o de soja, deve ser de 40% a 45%. Para João Cruz, uma das alternativas é a exportação de leite, considerando que a produção cresce anualmente 4% em média, em contrapartida a 2% do aumento do consumo.

O vice-presidente desta mesma Comissão, Emidinho Madeira, externou sua preocupação com a patologia da tripanossomose bovina, registrada na Região de Passos (Sul de Minas), que vem afetando o plantel produtivo. Em resposta, o secretário disse que a pasta está estudando na Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais (Fapemig) formas de diagnóstico da doença. Emidinho ainda ponderou que os produtores de leite estão preocupados se a importação do produto não pode estar auxiliando na crise no setor.

Por fim, Nozinho entregou convite ao secretário para participar de audiência pública da comissão, em Itabira (Central), no próximo dia 7 de junho, sobre diversificação econômica em municípios mineradores por meio da agropecuária.