A exposição fotográfica integra a programação do Fórum Técnico População em Situação de Rua

Mostra Do outro lado da rua será aberta nesta segunda (11)

Além de exposição de fotos e vídeos na ALMG, fórum sobre população em situação de rua também terá feira solidária.

08/06/2018 - 17:22

Adão em sua maloca. Maria da Conceição Santos hoje na cozinha da Pastoral de Rua. Ou Diego dos Santos e suas histórias de amor e prisão, contadas entre a lavagem de um carro e outro.

Pessoas em situação de rua, eles abriram suas vivências a equipes de comunicação da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) para reportagem especial sobre como é viver sem moradia. Se deixaram fotografar, filmar, gravar e também assumiram a si próprios na produção de selfies.

Parte do resultado desse trabalho coletivo está em "Do outro lado da rua", exposição de fotos e vídeos que será aberta nesta segunda-feira (11/6/18), às 13h30, no Espaço Democrático José Aparecido de Oliveira da Assembleia.

A atividade é um dos destaques da etapa final do Fórum Técnico População em Situação de Rua, que acontece na ALMG a partir desta segunda (11), dia em que será realizada, ainda, a Feira Solidária "Empreendendo Vidas", a partir das 9h30, no Hall das Bandeiras.

O objetivo do fórum é contribuir com propostas para o plano de metas e ações que Minas Gerais deverá elaborar para implementar a Política Estadual para a População em Situação de RuaVeja a programação completa do evento.

Seleção - Para a mostra, que prossegue até quarta (13), foram selecionadas 14 fotos de um extenso acervo produzido. Elas serão exibidas em formatos diversos. Na parede se destacam duas imagens em 5,10 x 3,40 metros, sendo as demais expostas em totens distribuídos pelo espaço. Já quatro monitores de TV estarão exibindo fragmentos de vídeos feitos com o telefone celular, com depoimentos de pessoas em situação de rua.

"O resultado da cobertura jornalística do tema foi tão rico que a exposição nasceu para contar um pouco da história dos personagens ouvidos", destaca a servidora Bárbara Lima, editora de fotografia da ALMG.

Para Clarissa Barçante, da equipe de repórteres-fotográficos que se envolveu na empreitada, essa riqueza proporcionada pelo trabalho de campo trouxe também bagagem profissional e humana. "Conhecer essas pessoas mostrou que elas têm desejos comuns a todos, de ter moradia e trabalho e de realizar os mesmos sonhos, ainda que tenham demandas diferentes", marca Clarrissa.

A reflexão vem apoiada em histórias como a de Joel Loureiro, um dos personagens que confidenciou à equipe uma de suas maiores tristezas: não poder fazer uma festa para o aniversário de 15 anos da filha, como desejava a ex-esposa, conta a repórter. "É o sonho de qualquer pai", reforça ela.

Para além de pontos em comum, o repórter-fotográfico Daniel Protzner destaca que foram diversas as histórias e cenários encontrados, o que a mostra de fotos e vídeos procurou valorizar em paisagens, objetos e entornos que estão presentes no cotidiano de cada personagem.

"O uso do celular para os vídeos, por exemplo, foi uma experiência que deixou o trabalho mais natural, a câmera ainda assusta muitas pessoas", ressalta Daniel.

Selfies - Além das selfies feitas durante a reportagem, outras poderão ser produzidas durante o fórum e publicadas nas redes sociais da ALMG. O Facebook da Assembleia, por exemplo, vai transmitir ao vivo os relatos da Fala Rua-Roda de Conversas, outra atividade do fórum. A roda vai reunir, também nesta segunda (11), a partir das 16h30, pessoas em situação de rua, representantes do poder público e da rede de apoio a essa população. Internautas poderão postar seus comentários durante a transmissão. 

Feira solidária quer gerar renda

A feira solidária "Empreendendo Vidas" é uma organização do Projeto Empreendendo Vidas, de fomento a alternativas de trabalho. Empreendedores individuais em situação de rua ou organizados em coletivos venderão diversos produtos, de vasos e flores a artesanato e artigos de cama e mesa, muitos dos produtos tendo sido feitos com materiais reciclados.

Bolos e café, batas africanas customizadas, acessórios, pães, palha africana, bolos de sabores caseiros sem glúten e sem lactose, artigos em gesso e em pedras também estarão à venda, numa iniciativa que tem como parceiros a ALMG, a coordenação do fórum e os grupos econômicos solidários Providens - Ação Social Arquidiocesana e Projeto Misereor.

O que é - O fórum é promovido pela Assembleia em parceria com a Secretaria de Estado de Direitos Humanos, Participação Social e Cidadania (Sedpac) e o Comitê Intersetorial de Acompanhamento e Monitoramento da Política Estadual para População em Situação de Rua (Comitê PopRua-MG). 

Antecedendo essa etapa final, o evento contou com encontros regionais em cinco municípios do interior: Betim (Região Metropolitana de Belo Horizonte), Uberlândia (Triângulo Mineiro), Montes Claros (Norte de Minas), Ipatinga (Vale do Aço) e Juiz de Fora (Zona da Mata), além, claro, de Belo Horizonte. Foi, ainda, realizada uma consulta pública aberta a contribuições da sociedade.

As propostas discutidas em grupos de trabalho e aprovadas na plenária final vão subsidiar o plano que deverá nortear a Política Estadual para a População em Situação de Rua, instituída pela Lei 20.846, de 2013. O plano deverá ser encaminhado à ALMG pelo Poder Executivo.