Audiência aprovada pretende discutir reivindicações dos professores das Umeis, em greve há 43 dias

Greve no ensino infantil de BH será tema de audiência

Em outra reunião, Comissão de Direitos Humanos vai abordar superlotação na carceragem de adolescentes em Contagem.

06/06/2018 - 16:13

As reivindicações dos professores da rede municipal de ensino infantil de Belo Horizonte, em greve desde o dia 23 de abril, vão ser debatidas em audiência pública da Comissão de Direitos Humanos da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG).

A deliberação foi tomada em reunião da comissão, nesta quarta-feira (6/6/18), atendendo a requerimento do deputado Rogério Correia (PT).

Em assembleia geral realizada na manhã desta quarta-feira (6), no Centro da Capital, os professores das Unidades Municipais de Educação Infantil (Umeis) decidiram manter a paralisação que já dura 43 dias.

Eles querem equiparação salarial com os educadores do ensino fundamental. Segundo o sindicato da categoria, o Sind-Rede/BH, os profissionais das Umeis têm um vencimento inicial de R$ 1.450,00 (nível 1), bem abaixo dos R$ 2.200,00 (nível 10) pagos aos profissionais do ensino fundamental em início de carreira.

Adolescentes - Na mesma reunião, a comissão aprovou também requerimento do seu presidente, deputado Cristiano Silveira (PT), propondo a realização de audiência pública para debater a superlotação da carceragem da Delegacia da Criança e do Adolescente de Contagem, na Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH), bem como as condições precárias a que estariam submetidos os adolescentes no local.

De acordo com o autor do requerimento, a situação estaria em desacordo com as normas do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) e da Lei do Sistema Nacional de Atendimento Socioeducativo.

Consulte o resultado da reunião.