O livro foi organizado pelas professoras Mariah Brochado, Marcella Gomes e Nathalia Lipovetsky

Livro reúne textos sobre educação para direitos humanos

A obra foi lançada durante audiência pública da Comissão de Direitos Humanos, realizada no Salão Nobre da ALMG.

02/05/2017 - 21:38 - Atualizado em 03/05/2017 - 19:36

A importância da educação para os direitos humanos na construção de uma sociedade mais justa foi defendida por convidados durante o o lançamento do livro "Educação para direitos humanos - Diálogos possíveis sobre a pedagogia e o direito" – Volume II.

O lançamento foi realizado na noite desta terça-feira (2/5/17), no Salão Nobre da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), durante audiência pública da Comissão de Direitos Humanos.

Organizado pelas professoras Mariah Brochado, Marcella Gomes e Nathalia Lipovetsky, a obra reúne artigos desenvolvidos pela equipe de professores e alunos do curso de aperfeiçoamento a distância em direitos humanos Paideia Jurídica, na Escola da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), ocorrido em 2014.

O autor do requerimento da audiência e do prefácio do livro, deputado Durval Ângelo (PT), apontou que a obra aborda a importância da educação para os direitos humanos, ao reunir o trabalho de estudiosos de diversas áreas de conhecimento. 

Durval Ângelo apontou que a escola tem um papel fundamental ao preparar para a cidadania e o trabalho e também ao atuar na formação de seus alunos para a convivência de uma cultura de respeito à diversidade, de valorização da vida e de resgate dos direitos.

Para ele, a intolerância e o preconceito na sociedade estão aumentando, o que demonstra a necessidade das reflexões promovidas pelo livro.

Educação passa por momento técnico

Uma das organizadoras do livro, a professora Marcella Gomes destacou que a educação passa por um momento muito técnico e é preciso que ela volte a ocupar o seu papel de transformar o olhar das pessoas e de ensinar o cuidado com o outro e o respeito à dignidade humana.

“No caso do Direito, a educação é muito pouco humana, estando voltada basicamente apenas para a memorização de leis e de códigos. Nesse contexto, é difícil que os juízes, ao se debruçarem sobre um processo, enxerguem as pessoas. Daí a importância da educação para direitos humanos”, afirmou.

O secretário de Estado de Direitos Humanos, Participação Social e Cidadania, Nilmário Miranda, destacou a importância de mudar a cultura e a cabeça dos brasileiros no que tange à violação dos direitos humanos. Ele avalia como fundamental o fortalecimento da educação para direitos humanos para garantir a dignidade da pessoa humana.

Sistema prisional - Já o secretário adjunto de Estado de Administração Prisional, Robson Lucas da Silva, falou sobre a situação do sistema prisional. Em sua opinião, a precariedade do sistema prisional é hoje um desafio a ser enfrentado, sendo que, nacionalmente, encontra-se em constante estado de violação de direitos humanos.

Robson Lucas destacou que Minas Gerais conta com uma população carcerária além da capacidade do seu sistema prisional e afirmou que esse excesso acaba prejudicando o pleno atendimento. 

Organizadoras - Mariah Brochado Ferreira é secretária de Estado adjunta de Casa Civil e de Relações Institucionais, Marcella Furtado de Magalhães Gomes é professora-adjunta do Departamento de Direito do Trabalho e Introdução ao Estudo do Direito da Faculdade de Direito da UFMG e Nathalia Lipovetsky e Silva é doutora em Direito pela UFMG.

Minas em Diálogo - O lançamento do livro fez parte do projeto Minas em Diálogo, parceria entre a UFMG e a Secretaria de Estado de Casa Civil e de Relações Institucionais. A professora Mariah Brochado Ferreira explicou que o projeto traz temas que interessam à gestão pública, a comunidade acadêmica e à sociedade em geral.

Consulte o resultado da reunião.