Caratinga vai receber o seminário às 10 horas desta sexta (13) - Arquivo/ALMG

Presidente da ALMG apoia evento sobre febre amarela

Seminário é organizado pelo Governo do Estado em reação a mortes causadas pelo vírus em Minas Gerais.

12/01/2017 - 10:00 - Atualizado em 12/01/2017 - 12:26

A identificação de casos de febre amarela em Minas Gerais, que podem já ter resultado na morte de 14 pessoas em municípios do leste mineiro, leva o Governo do Estado a promover, nesta sexta-feira (13/1/17), nas cidades de Caratinga (Vale do Rio Doce) e Teófilo Otoni (Vale do Mucuri), o Seminário Minas Gerais contra a Febre Amarela.

O evento contará com a presença do presidente da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), deputado Adalclever Lopes (PMDB), do governador Fernando Pimentel, do secretário de Saúde Sávio Souza Cruz e do subsecretário de Vigilância e Proteção à Saúde, Rodrigo Said. Também está prevista a participação de dezenas de prefeitos da região e de especialistas.

Em Caratinga, o seminário acontecerá a partir de 10 horas, no América Futebol Clube (Rua Dr. Maninho, 316, Centro). Em Teófilo Otoni, o evento será às 15 horas, no Palmeiras Country Club (Rua Hélio Ottoni, s/n°, bairro São Diogo).

Para Adalclever Lopes, a conscientização das autoridades e da população é necessária para evitar o agravamento do problema. “As melhores armas para enfrentar a ameaça da febre amarela em Minas Gerais são a informação e a mobilização de toda a sociedade. A Assembleia Legislativa estará presente no seminário, apoiando o governo nas providências que se fizerem necessárias”, afirmou.

Casos - Segundo informações da Secretaria de Estado de Saúde, estão sendo investigados 23 casos suspeitos de febre hemorrágica aguda. Destes, 16 já foram identificados como febre amarela e os outros seguem em investigação. Das 23 pessoas infectadas, 14 morreram.

Cerca de 15 municípios estão em alerta em decorrência desses casos, todos nas regiões de Teófilo Otoni, Coronel Fabriciano (Vale do Aço), Manhumirim (Zona da Mata) e Governador Valadares (Vale do Rio Doce).

Providências - O governador Fernando Pimentel afirmou, na última terça (10), que a incidência da febre amarela no Estado é grave, mas não é motivo de alarme por parte da população. Ele disse que já foi iniciada a vacinação de quem vive nas áreas rurais dos municípios afetados e estão sendo destinados mais leitos hospitalares para o atendimento dos casos graves.

O governador também garantiu que há vacinas suficientes para atender as regiões afetadas.

Informações sobre a doença

A febre amarela é uma doença infecciosa grave, causada por vírus e transmitida por mosquitos, tanto em áreas urbanas e silvestres. Nas áreas urbanas essa transmissão se dá por meio do mosquito Aedes aegypti, mesmo transmissor da dengue, chikungunya e zika. Em áreas florestais, os principais vetores são os mosquitos Haemagogus e Sabethes.

A transmissão acontece quando uma pessoa que nunca tenha contraído a febre amarela ou tomado a vacina contra a doença é picada por um mosquito infectado. Ao contrair a doença, a pessoa pode se tornar fonte de infecção para o Aedes aegypti no meio urbano.

As primeiras manifestações da doença são febre alta, calafrios, cansaço, dor de cabeça, dor muscular, náuseas e vômitos, por cerca de três dias. A forma mais grave da doença é rara e costuma aparecer após um breve período de recuperação (até dois dias), quando podem ocorrer insuficiências hepática e renal, icterícia (olhos e pele amarelados), manifestações hemorrágicas e cansaço intenso.

A maioria dos infectados se recupera bem e adquire imunização permanente contra a doença.