Seca no Norte de Minas e criação da Secretaria Extraordinária de Desenvolvimento Integrado e Fóruns Regionais também foram temas abordados na reunião

Processo de impeachment de Dilma Rousseff é debatido

No Plenário, parlamentares alternaram críticas e defesa do processo que pode condenar a presidenta.

30/08/2016 - 16:17

O processo de impeachment da presidenta da República, Dilma Rousseff, motivou pronunciamentos divergentes de deputados presentes na Reunião Ordinária de Plenário desta terça-feira (30/8/16), na Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG). Cobranças e críticas ao governador Fernando Pimentel, relativas à seca no Norte de Minas e à criação de secretaria extraordinária, também pautaram as falas dos parlamentares.

Criticando a possibilidade de impeachment, o deputado Cristiano Silveira (PT) ressaltou a honestidade da presidenta, em detrimento de alguns dos senadores que a acusaram. “Tenho orgulho de ser companheiro de partido dessa mulher. O Estado brasileiro terá que pedir desculpas. Espero que ela esteja viva”, afirmou.

O deputado Rogério Correia (PT) afirmou que o sistema político-eleitoral do País é que deveria estar sendo julgado, não a presidenta. “Não se reforma um País criminalizando um partido ou uma pessoa”, criticou, referindo-se às acusações contra Dilma, o ex-presidente Lula e o PT.

Por outro lado, o deputado Bonifácio Mourão (PSDB) defendeu o processo, que em sua avaliação está legitimado pela Constituição da República. Ele argumentou que todo o rito legal foi respeitado, em um processo que já leva “nove meses, uma gestação”, lembrou.

Em sua avaliação, está claro que a presidenta violou a Lei de Responsabilidade Fiscal e atropelou a competência do Congresso Nacional, editando decretos que beneficiaram empresas que contribuíram para sua campanha eleitoral.

Secretaria – O deputado Gustavo Valadares (PSDB) criticou o Governo do Estado pela criação da Secretaria Extraordinária de Desenvolvimento Integrado e Fóruns Regionais, que, para ele, só visa criar empregos para petistas.

Rogério Correia respondeu que a nova secretaria, comandada pelo deputado licenciado Fábio Cherem, contará com uma equipe formada exclusivamente por servidores que já trabalham no governo, sem nenhuma contratação nova.

Seca – Já o deputado Carlos Pimenta (PDT) cobrou mais atenção do governo com relação à seca no Norte de Minas. “Todos os municípios do Norte já decretaram estado de emergência. Montes Claros já implementou o rodízio do abastecimento e a previsão de chuva é para março de 2017”, alarmou-se o parlamentar.

Bloco – Ainda durante a Reunião Ordinária, a presidência comunicou que o PHS, representado na Assembleia pelo deputado Dirceu Ribeiro, passou a integrar, desde 23 de agosto último, o bloco Compromisso com Minas, que também reúne os partidos PEN, PPS, PSC, PSD, PTC, PV e Rede.

Consulte o resultado da reunião.