Deputados discutiram a relevância e o pioneirismo de Minas na produção leiteira nacional, os custos de produção e a segurança no campo, entre outros temas
Jônadan destacou que a rentabilidade da atividade é fundamental para incentivar o homem do campo

Custos, sucessão e segurança preocupam produtores de leite

Esses foram alguns pontos debatidos em audiência da Comissão de Agropecuária na abertura da Megaleite, na Gameleira.

21/06/2016 - 16:27

Deputados da Comissão de Agropecuária e Agroindústria da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) participaram nesta terça-feira (21/6/16) da abertura da Megaleite, a maior feira da agropecuária leiteira do Brasil. Na ocasião, também foi realizada uma audiência pública da comissão em que se discutiram questões como a relevância e o pioneirismo de Minas Gerais no contexto da produção leiteira nacional, os custos de produção e a segurança no campo.

O presidente da comissão, deputado Fabiano Tolentino (PPS), ressaltou os desafios enfrentados no setor, entre os quais o baixo preço que é pago ao produto. Segundo ele, embora atualmente o preço do leite tenha melhorado, o valor de insumos como o milho e a soja tem aumentado, o que acaba impactando no custo da produção.

O parlamentar também fez reivindicações quanto à violência no campo, que, segundo ele, é agravada pelo quadro deficitário de policiais nas pequenas cidades e o baixo orçamento do Estado para a área. Nesse contexto, lembrou que a ALMG vai realizar debate público, em conjunto com a Comissão de Segurança Pública, para discutir a questão. O deputado também recebeu homenagem, em nome da Assembleia, pelos 20 anos de homologação da raça girolando.

Concordando com o colega, o deputado Antônio Carlos Arantes (PSDB) criticou o orçamento destinado à agricultura no Estado, que seria de cerca de R$ 560 milhões em 2016. Também relembrou que, embora o governador tenha mencionado, ainda na abertura do evento, a revitalização do Parque da Gameleira, um dos projetos que trata da reforma administrativa do Executivo (Projeto de Lei 3.503/16) prevê, em seu artigo 88, que o imóvel deixará de constituir patrimônio do Instituto Mineiro de Agropecuária (IMA).

Entretanto, ao fim da audiência, Antônio Carlos Arantes anunciou que o referido projeto recebeu, nesta terça (21), no Plenário, substitutivo que elimina o referido dispositivo.

Os deputados Emidinho Madeira (PSB) e Nozinho (PDT) também destacaram a importância do evento e lembraram sua atuação na ALMG em defesa do agronegócio.

Sucessão no campo - Ainda na audiência, o presidente da Associação Brasileira dos Criadores de Girolando, Jônadan Hsuan Min Ma, lembrou que Minas é o maior produtor de leite do País, respondendo por cerca de 28% do total nacional, enquanto o Brasil é o quinto maior produtor mundial, com 37 bilhões de litros. Desse total nacional, segundo ele, 46,7% vem da agricultura familiar.

Nesse sentido, ressaltou o papel importante do pequeno produtor rural na produção de leite e da sucessão familiar. “Como motivar nossos filhos para que continuem na atividade? Não basta termos as melhores tecnologias, assistência técnica no campo. Temos que ter capacitação, motivação para o produtor”, disse.

Segundo o presidente da associação, o incentivo à permanência do homem no campo passa não apenas pela questão da segurança, mas também pela rentabilidade da atividade.

Antes da audiência, na abertura da Megaleite, Jônadan Hsuan Min Ma pontuou a importância do evento, que fortalece a cadeia produtiva do leite e possibilita a aproximação do homem do campo e da cidade, ao ser realizado pela primeira vez em Belo Horizonte. Por fim, disse que a atividade é uma das mais importantes para a economia nacional, em virtude da geração de emprego e renda.

Megaleite - De 21 a 26 de junho, a Megaleite reúne as principais raças leiteiras do Estado e do Brasil no Parque de Exposições da Gameleira, na Capital. O evento é organizado pela Associação Brasileira dos Criadores de Girolando e tem como objetivo unir toda a cadeia produtiva em torno de um único evento, reforçando o potencial do setor.

Governo deve enviar à ALMG projeto do fundo sanitário

O governador Fernando Pimentel também participou da abertura do evento e destacou que a Megaleite celebra a grandeza da pecuária leiteira em Minas Gerais. “Damos todo o apoio para que a pecuária leiteira do Estado se firme e continue com lugar de destaque. E isso se deve ao trabalho e empenho do produtor de leite”, disse.

Ele também afirmou que o governo vai enviar em breve projeto de lei à ALMG sobre o fundo sanitário. Em linhas gerais, este seria um instrumento de suporte às ações emergenciais na área e de financiamento de trabalhos de extensão com foco na educação sanitária.

Referindo-se ao fato de o Estado estar há 20 anos sem casos de febre aftosa (doença viral altamente contagiosa que afeta animais, como bovinos e suínos), o governador pontuou que não basta apenas comemorar a data, mas transformar o fato em um ativo para o setor.

Ainda na abertura da Megaleite, o secretário de Estado da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, João Cruz Reis Filho, destacou que a cadeia do leite, tão importante do ponto de vista econômico e social, merece o devido reconhecimento do Estado.

Consulte o resultado da reunião.