A Medalha da Inconfidência é entregue todo dia 21 de abril - Arquivo/ALMG

Reunião vai abordar problemas durante evento em Ouro Preto

Comissão de Segurança Pública tenta, mais uma vez, ouvir oficiais que atuaram na entrega da Medalha da Inconfidência.

17/06/2016 - 16:44

A Comissão de Segurança Pública da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) quer ouvir os policiais militares que comandaram operação em Ouro Preto (Região Central do Estado), no dia 21 de abril deste ano, durante os festejos os comemorativos do feriado de Tiradentes e a solenidade de entrega da Medalha da Inconfidência. A audiência pública está marcada para a próxima terça-feira (21/6/16), às 9 horas, no Plenarinho IV da ALMG.

O presidente da comissão e autor do requerimento, deputado Sargento Rodrigues (PDT), condena o deslocamento de grande parte do efetivo da Polícia Militar para a cidade e a forma de atuação dos agentes durante o evento.

Segundo o parlamentar, na ocasião do evento, ele e representantes de entidades de classe teriam sido recebidos com truculência e impedidos de acessar o local da cerimônia. Na opinião do deputado, a ocorrência se configura como violação da Constituição da República, especialmente dos direitos de ir e vir, de manifestação e de liberdade de expressão.

Esta é a terceira reunião agendada pela comissão para esclarecer os incidentes ocorridos durante a cerimônia de entrega da Medalha da Inconfidência, já que nas demais alguns dos militares convocados não compareceram.

Convidados – Algumas autoridades foram convidadas a participar da reunião, outras convocadas. Entre os convidados estão o secretário de Estado de Governo, Odair José da Cunha; o deputado federal Subtenente Gonzaga (PDT-MG) e a coordenadora do Centro de Apoio Operacional das Promotorias de Justiça de Defesa dos Direitos Humanos, promotora Nivia Mônica da Silva.

Também foram convidados o presidente da Associação dos Oficiais da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros de Minas Gerais, tenente-coronel PM Ailton Cirilo da Silva; o presidente da Associação de Servidores do Corpo de Bombeiros e Polícia Militar do Estado de Minas Gerais, sargento BM Alexandre Rodrigues; o presidente da Associação dos Praças Policiais e Bombeiros Militares de Minas Gerais (Aspra), 3º sargento PM Marco Antônio Bahia Silva; o presidente do Centro Social dos Cabos e Soldados da Polícia Militar e Bombeiros Militares de Minas Gerais, cabo BM Álvaro Rodrigues Coelho, e o presidente da Comissão de Direitos Humanos da Ordem dos Advogados do Brasil - Seção Minas Gerais (OAB-MG), William dos Santos.

Entre os convocados estão o comandante da 3ª Região da Polícia Militar de Minas Gerais, coronel PM Eucles Figueiredo Honorato Júnior; o comandante do Batalhão de Polícia de Choque da Polícia Militar de Minas Gerais, tenente-coronel PM Gianfranco Caiafa; o chefe da Seção Estratégica de Emprego Operacional do Estado-Maior da Polícia Militar de Minas Gerais, tenente-coronel PM Cláudio Vitor Rodrigues Rocha, e o comandante da 3ª Companhia do Batalhão de Polícia de Choque da Polícia Militar de Minas Gerais, 1º tenente PM Leonardo Guimarães Oliveira Maillo.