André Quintão falou sobre manifesto contra redução de investimentos na área social
Tito Torres criticou a proposta de reforma administrativa enviada pelo governador
Rosângela Reis disse que a duplicação da BR-381 é a obra mais importante do Brasil
Celise Laviola citou dados da Secretaria de Estado de Defesa Social sobre ocorrências de trânsito
Geraldo Pimenta disse que vários artistas e jornais internacionais têm se posicionado contra o impeachment
Rogério Correia disse que nenhum governante pode ser retirado do poder se não tiver cometido crime

Oradores - Reunião Ordinária de Plenário de 11/5/16

Em reunião acompanhada por agentes socioeducativos, parlamentares se solidarizam com categoria e abordam crise política.

11/05/2016 - 20:52 - Atualizado em 12/05/2016 - 14:00

Assistência social
O deputado André Quintão (PT) informou que, no Encontro Nacional de Gestores de Assistência Social, foi lançado um manifesto contra a redução dos investimentos na área social. Segundo ele, os secretários de todos os Estados, inclusive de alguns governados por partidos de oposição, mostraram preocupação com a possibilidade de cortes no social, caso Michel Temer assuma a Presidência da República. André Quintão também criticou a possibilidade de fusão dos Ministérios do Desenvolvimento Social com o do Desenvolvimento Agrário. Para ele, o plano de Temer é destinar o Bolsa Família a apenas 5% da população brasileira, o que faria aumentar a pobreza, o abandono escolar e o trabalho infantil. Já sobre a possibilidade de deposição da presidente Dilma, ele disse que muitos que estão favoráveis vão se arrepender. Em aparte, os deputados Fábio Cherem (PSD), Carlos Pimenta (PDT), Dalmo Ribeiro Silva (PSDB) e João Leite (PSDB) desejaram boas vindas ao parlamentar.

 

Reforma administrativa
O deputado Tito Torres (PSDB) criticou a proposta de reforma administrativa encaminhada pelo Governo do Estado, que não estaria agradando a nenhum setor. Sobre o possível afastamento da presidente da República, ele afirmou que existe uma esperança de melhoria com o impeachment e com o vice-presidente Michel Temer assumindo e promovendo cortes. “Queremos um futuro melhor para nossas crianças”, afirmou. Em aparte, o deputado João Leite se solidarizou com os agentes socioeducativos, que reivindicam a continuidade de vinculação deles à Secretaria de Estado de Defesa Social, e não à outra área, como prevê um dos projetos da reforma administrativa. Em outro aparte, Felipe Attiê (PTB) informou que mais de 1,8 milhão de empresas foram fechadas em 2015, sendo que a média anual seria de 500 mil. Ainda em aparte, o deputado Cabo Júlio (PMDB) disse que agendou reunião com técnicos do Executivo e do Legislativo para tratar das demandas dos agentes socioeducativos.

 

BR-381
A deputada Rosângela Reis (Pros) criticou o atraso da obra de duplicação da BR-381. “Esta é a obra mais importante do Brasil atualmente e está sendo tratada de qualquer jeito”, disse. Ela afirmou que vários deputados usam a rodovia e estão ansiosos para ver a obra concluída. Rosângela Reis lembrou ainda de um acidente em Santana do Paraíso (Vale do Rio Doce), quando um carro bateu em uma carreta, devido à condição da estrada. De acordo com ela, já foram aplicados R$ 200 milhões e a obra está quase parada. Isso tem se refletido na economia no Vale do Aço, conforme informou a parlamentar. A deputada disse que muitos empresários estão fechando as portas devido à crise, aumentando o desemprego. Em aparte, Wander Borges (PSB) disse que os fretes estão mais caros nas cidades próximas à rodovia, devido ao estado da rodovia. Ainda em aparte, Elismar Prado (sem partido) afirmou que os agentes socioeducativos têm que permanecer vinculados à área de segurança pública.

 

Maio Amarelo
A campanha "Maio Amarelo: Sinal verde para a vida" foi o assunto abordado pela deputada Celise Laviola (PMDB). O Maio Amarelo é um movimento mundial que une sociedade civil e poder público em ações de conscientização por um trânsito mais seguro. Ela citou dados da Secretaria de Estado de Defesa Social de que, só em janeiro de 2016, houve 5202 ocorrências de trânsito, 890 com vítimas. De acordo com o diagnóstico de trânsito, em 2015, foram 275 mil acidentes em Minas. Segundo Celise Laviola, o Maio Amarelo pretende chamar atenção para o alto índice de acidentes. A deputada também reivindicou a continuidade das obras da BR-381. Em aparte, Rogério Correia (PT) informou que solicitou uma audiência na Comissão de Segurança Pública para os agentes socioeducativos apresentarem suas demandas. Em outro aparte, o deputado João Leite disse que é preciso fazer um trabalho educativo para reduzir o número de acidentes.

 

Impeachment I
O deputado Geraldo Pimenta (PCdoB) criticou o processo de impeachment da presidente. Segundo ele, muitos que defendiam a saída de Dilma agora estão se arrependendo. “O povo tem se manifestado nas ruas, praças, escolas, diante da situação política do Brasil”, afirmou. O deputado disse que vários artistas e jornais internacionais têm se posicionado contra o processo de impedimento da presidente da República. Entre os artistas citados está Wagner Moura, que, segundo o parlamentar, afirmou nunca ter votado em Dilma, mas respeita os 54 milhões de votos que ela obteve. Geraldo Pimenta também citou o jornal francês Le Monde, que criticou a fala de vários deputados ao votarem a continuidade do processo de impeachment, homenageando suas famílias, filhos e netos. Citou também o prêmio Nobel, Adolfo Eschivel, que afirmou não querer mais golpe na América Latina. Em aparte, o deputado Durval Ângelo (PT) disse que os brasileiros perderão direitos caso assuma um novo governo.

 

Impeachment II
A possibilidade de impeachment da presidente Dilma Rousseff também foi o assunto do deputado Rogério Correia. Segundo o parlamentar, hoje não é um dia para festejar a democracia. “Estamos assistindo à interrupção de um governo eleito com voto popular através de voto parlamentar. Estamos assistindo em Brasília à interrupção de um mandato presidencial, sem que Dilma tenha cometido nenhum crime, com um viés estritamente político”, criticou. Ele disse ainda que, pela Constituição Federal, nenhum governante pode ser retirado do poder se não tiver cometido crime e que o processo foi aceito pelo deputado feredal Eduardo Cunha (PMDB-RJ), presidente afastado da Câmara dos Deputados por corrupção. Rogério Correia acredita que a Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) e o senador Aécio Neves (PSDB-MG) estão na liderança do processo, e que o plano do vice-presidente Michel Temer é uma "ponte para o inferno, e não para o futuro", pois retirará benefícios dos aposentados e dos mais pobres.

 

Consulte os pronunciamentos realizados em Plenário.