Adolescentes mostram talentos no lançamento do programa Vida

O lançamento do programa Vida (Valorização, Integração e Desenvolvimento do Adolescente Trabalhador), na tarde desta ...

13/08/2010 - 00:01
Assembleia Legislativa do Estado de Minas Gerais
 

Adolescentes mostram talentos no lançamento do programa Vida

O lançamento do programa Vida (Valorização, Integração e Desenvolvimento do Adolescente Trabalhador), na tarde desta sexta-feira (13/8/10), se transformou numa festa emocionante, com apresentações artísticas e depoimentos de jovens que já trabalharam na Assembleia Legislativa de Minas Gerais. Os jovens lotaram o Espaço Democrático José Aparecido de Oliveira, cantaram, dançaram e participaram de oficinas de vídeo, fotografia e desenho, numa demonstração de alegria e envolvimento com o programa. A jornalista Helena Barone, da TV Assembleia, comandou a apresentação do lançamento.

Também estiveram presentes dezenas de servidores, vários diretores, gerentes e chefes de gabinetes. O diretor-geral da ALMG, Eduardo Moreira, falou de sua convivência com os adolescentes trabalhadores ao longo de seus 30 anos de casa. "Tive a felicidade de conviver com meninos que se destacaram por sua presteza, dedicação e discrição. Alguns estão aqui até hoje e se tornaram grandes amigos", disse Eduardo. Ele parabenizou a equipe que coordena o Vida, enfatizando o quanto foi acertada a decisão da Casa ao criar uma diretoria específica de Recursos Humanos, em 2007, para concentrar os esforços de capacitação e valorização de todos os que trabalham no Legislativo.

Jovens falam sobre importância da experiência...

Abrãao Loamir Soares, que saiu da Assembleia em 2006 e hoje é soldado da Aeronáutica, agradeceu a oportunidade de voltar ao local "onde tudo começou" e falou da satisfação em dividir a sua experiência com os novos trabalhadores mirins. "Consegui aqui o que todo adolescente quer - o primeiro emprego, para comprar roupas, tênis e não depender de pai e mãe. Mas o que mais me ajudou foi aprender a ter responsabilidade, profissionalismo e companheirismo, respeito e disciplina". Hoje com 22 anos, há três na Aeronáutica, onde pretende seguir carreira, Abraão deixa uma mensagem para os novatos: "A partir do momento em que a gente muda e almeja uma coisa com dedicação, vem a vitória".

Há um ano na Assembleia, Eliane Pereira dos Anjos, 17 anos, trabalha na Diretoria de Comunicação Institucional, como recepcionista. Antes de ser selecionada pela Assprom, já tinha passado por uma experiência anterior como vendedora num shopping popular. "Não dá nem para comparar os dois empregos", diz ela. "Aqui tenho a oportunidade de conviver com pessoas de todos os níveis e diversas profissões, aprendi como lidar com o público, passei por treinamento e 99% das pessoas me respeitam, me ajudam, me apoiam, dão conselhos e me incentivam. Na comunicação, só tenho a agradecer, lá só tenho amigos. Meu sonho? Passar num concurso público da Assembleia e me formar em Ciência da Computação."

Guilherme Amorim trabalhou na Assprom entre os anos de 2006 e 2008, e hoje cursa o primeiro período de História na PUC Minas. O egresso da Associação Profissionalizante reconheceu a importância da Assembleia em sua vida. "Por ser uma casa que tem uma história brilhante em Minas Gerais, a minha vontade de entender e estudar o histórico do País falou muito alto. Daí a minha escolha pelo curso superior de História", disse.

Cíntia Gonçalves, 18 anos, há dois trabalha na Assembleia. Com o seu contrato chegando ao fim, se diz agradecida pela oportunidade que lhe foi dada. "Pude fazer uma das coisas que mais gosto, que é cantar, no lugar que me deu a melhor oportunidade da minha vida. Só tenho a agradecer, tanto à Assprom quanto à Assembleia, que abriram as portas para a realização dos meus sonhos", concluiu.

Víctor Silva, 18 anos, resolveu seguir a carreira militar. Após ter trabalhado por quase dois anos na Assembleia, disse que a experiência foi muita válida e que, daqui, deu o primeiro passo para a sua carreira profissional. "Hoje desenvolvo trabalhos na área administrativa da Aeronáutica, onde sou soldado. Os conhecimentos que adquiri nos setores da Assembleia me ajudam muito nas tarefas que desenvolvo hoje, no Batalhão de Infantaria da Força Aérea", afirmou.

Programa valoriza o adolescente trabalhador

Para o gerente geral de Recursos Humanos, Wamberto Dias da Silva, "as intenções do programa estão bem claras na própria palavra que o denomina: Vida - Valorização, Integração e Desenvolvimento do Adolescente Trabalhador". O programa, segundo ele, reconhece no adolescente uma pessoa que contribui e exerce um trabalho fundamental para o bom desempenho da Casa. "E isso é importante para o jovem que está em fase de formação e precisa se sentir valorizado e preparado para o mercado de trabalho."

Parceria da Diretoria de Recursos Humanos com a Diretoria de Infraestrutura, através do Setor de Acompanhamento e Orientação aos Trabalhadores Mirins (Setram), o programa, na verdade, é o reconhecimento de um trabalho que já vem sendo realizado há mais de três décadas pela Assembleia. "A ideia é aprimorar todo o esforço que vem sendo feito pelo Setram ao longo desse tempo", diz Wamberto. "A avaliação que fazemos é muito positiva. Tivemos a preocupação de envolver os adolescentes na elaboração do programa, a Casa percebeu a importância da iniciativa, o que nos deixa muito otimistas quanto à continuidade do projeto".

Há 16 anos trabalhando no Setram e há oito como coordenadora, Eliana de Fátima Magalhães Gomes também não esconde seu entusiasmo. "É um grande incentivo para todos nós que trabalhamos há anos com os adolescentes, um grande reconhecimento. No decorrer desse período, vimos o nascimento do o Estatuto da Criança e do Adolescente e acompanhamos todas as mudanças sociais e culturais que surgiram a partir de então. Antes, era possível contratar crianças a partir de 12 anos; o estatuto mudou essa cultura e nós nos adaptamos."

Segundo Eliana, desde que, há 35 anos, a Assembleia passou a dar espaço ao trabalhador mirim, milhares de adolescentes passaram pela Casa, em média 200 por ano. O sistema é de rotatividade, a cada três meses saem e entram novas turmas. No momento, somando os 192 contratados (alguns já prestes a sair) e a turma dos novos, que acabam de chegar, a Assembleia conta com 220 trabalhadores mirins. O critério de escolha é sempre social, frisa. São selecionados adolescentes cuja condição social exige uma atenção maior.

Jovens participam de oficinas

Após a solenidade de lançamento do programa, seguida do show de calouros, com a apresentação de talentos mirins, os adolescentes se dividiram entre quatro oficinas: vídeo, fotografia, teatro e desenho. Com cerca de 20 inscritos, a oficina de vídeo foi coordenada por funcionários da TV Assembleia. A de fotografia, com mais de 30 inscritos, teve a coordenação dos fotógrafos Guilherme Bergamini e William Dias, do setor de Fotografia da Diretoria de Comunicação. A de desenho, com mais de 20 inscritos, foi coordenada pelo trabalhador mirim Lucas Rodrigues Alves, com apoio da servidora Etianete Simões. A de teatro contou com cerca de 25 inscritos e foi coordenada por Cláudia Bento.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Responsável pela informação: Assessoria de Comunicação - www.almg.gov.br

Rua Rodrigues Caldas,30 :: Bairro Santo Agostinho :: CEP 30190 921 :: Belo Horizonte :: MG :: Brasil :: Telefone (31) 2108 7715