Média de inflação dos remédios chega a 28% em dois anos

Vale a pena fazer uma boa pesquisa antes de comprar os medicamentos úteis para o dia a dia. É o que mostra levantamen...

29/04/2010 - 00:01
Assembleia Legislativa do Estado de Minas Gerais
 

Média de inflação dos remédios chega a 28% em dois anos

Vale a pena fazer uma boa pesquisa antes de comprar os medicamentos úteis para o dia a dia. É o que mostra levantamento do Procon Assembleia sobre a evolução dos preços desses produtos entre abril de 2008 e abril de 2010. No período, o preço médio de 30 medicamentos de referência sofreu aumento de até 27,99% e o de 111 remédios genéricos, de até 16,52%. Esta pesquisa foi feita em 11 estabelecimentos farmacêuticos de Belo Horizonte.

Nos últimos dois anos, a maior variação de preços médios entre os medicamentos de referência foi a do Tegretol 200mg (caixa com 30 comprimidos), produzido pelo laboratório Novartis e utilizado para tratamentos de epilepsia. A variação chegou a 225,03%. Entre os genéricos, o que teve a maior alta foi Omeprazol 20mg (embalagem com 14 cápsulas), utilizado para o tratamento de úlceras e produzido pelo laboratório E.M.S, que registrou alta de 136,12%.

De acordo com o Procon Assembleia, esse aumento é decorrente do reajuste anual autorizado pela Câmara de Regulação do Mercado de Medicamentos (CMED). O reajuste tem como base a variação do IPCA (Índice de Preço ao Consumidor Amplo) e o fator de produtividade.

Comparando as variações entre os estabelecimentos, o medicamento de referência que obteve a maior diferença foi o Zoltec 150mg (caixa com 1 cápsula). O maior preço verificado para esta fórmula foi o de R$ 23,56 e o menor, R$ 9,42, o que representa 101,85% de variação. No caso dos genéricos, a diferença é ainda maior. O Diazepan 5mg (caixa com 20 comprimidos), do laboratório Germed, pode ser encontrado por um preço até 272,65% maior que o do estabelecimento mais barato.

Genérico pode sair 500% mais barato

Outra questão que chama atenção na pesquisa é a diferença de valores entre remédios de referência e os genéricos de menor preço. O caso de maior índice é o do Prozac 20mg (caixa com 30 cápsulas). A diferença do preço entre a marca de referência, que é do laboratório Eli Lilly, e o genérico do laboratório Germed é de 541,85%. Entre o Tegretol 200mg (caixa com 30 comprimidos), do laboratório Novartis (marca referência), e o genérico do laboratório Biosintética, a variação é de 399,05%. O Antak 150 mg (caixa com 20 comprimidos) é 226,74% mais caro que o genérico.

Os medicamentos de referência são intercambiáveis com os genéricos, ou seja, os genéricos tem a função de ser uma alternativa aos remédios de referência por um preço menor. Mesmo que o médico só tenha prescrito o medicamento de referência ou a marca, o farmacêutico pode indicar, no momento da venda, um genérico correspondente. Todo medicamento genérico possui uma tarja amarela contendo a letra "G" e a inscrição "Medicamento Genérico".

A pesquisa completa pode ser consultada na página do Procon, no site da Assembleia: www.almg.gov.br/procon. Basta acessar o link "pesquisas de preços", onde estão disponíveis ainda as pesquisas anteriores. Outras informações também podem ser obtidas nos telefones (31) 3253-5500 e (31) 3253-5520.

Publicado em 29 de abril de 2010.

 

 

Responsável pela informação: Assessoria de Comunicação - www.almg.gov.br

Rua Rodrigues Caldas,30 :: Bairro Santo Agostinho :: CEP 30190 921 :: Belo Horizonte :: MG :: Brasil :: Telefone (31) 2108 7715