Aumento do consumo de crack preocupa população de Cataguases

A preocupação com a maior presença das drogas no cotidiano da cidade dominou a reunião realizada nesta quarta-feira (...

07/04/2010 - 00:01
Assembleia Legislativa do Estado de Minas Gerais
 

Aumento do consumo de crack preocupa população de Cataguases

A preocupação com a maior presença das drogas no cotidiano da cidade dominou a reunião realizada nesta quarta-feira (7/4/10), em Cataguases (Zona da Mata), pela Comissão Extraordinária de Políticas Públicas de Enfrentamento à Aids, às DSTs, ao Alcoolismo, às Drogas e Entorpecentes. Promovida pela Assembleia Legislativa de Minas Gerais, a reunião revelou dados como a apreensão de 50 quilos de drogas e 300 pessoas detidas pela Polícia Militar em 2009, no município, por crimes relacionados ao tráfico de entorpecentes.

As drogas apreendidas, segundo o comandante da 146a Companhia Especial da PM, major Clóvis de Paulo Pimenta, incluem também maconha e cocaína, mas a principal preocupação da polícia local hoje é o consumo de crack, mais barato e viciante. De acordo com o delegado Walter Franco, da Polícia Civil, cerca de 20 adolescentes são detidos por mês, em Cataguases, por crimes relacionados ao consumo de drogas, especialmente pequenos roubos para financiar o vício.

Coordenador da Comissão Extraordinária, o deputado Fahim Sawan (PSDB) confirmou que o trabalho realizado pela Assembleia confirma a expansão do crack no interior de Minas, que hoje vicia até mesmo crianças. Ele relatou o caso de uma criança de Uberaba, de apenas oito anos, que chegou a ficar 72 horas seguidas consumindo crack. "A escola é o melhor ambiente de prevenção", afirmou.

Presidente estadual do Democratas Mulher, a ex-deputada Maria Lúcia Mendonça foi responsável pelo agendamento da reunião em Cataguases, quando ainda estava na Assembleia Legislativa. Ela destacou que a cidade conta hoje com três clínicas de recuperação de dependentes químicos. Ela se mostrou apreensiva com o crescimento do consumo entre as mulheres da região. "Hoje já se pretende abrir duas clínicas femininas", alertou. Essa foi uma das demandas apresentadas por moradores que participaram da reunião. Uma das clínicas deve começar a atender em maio, na Comunidade Terapêutica Renascer.

Instrutor do Programa Educacional de Resistência às Drogas (Proerd), o cabo PM Jorge Roberto Silva Alves pediu o apoio da Comissão Extraordinária ao programa, no sentido de obter maiores investimentos do Estado. "Precisamos muito, por exemplo, de material audiovisual", afirmou o cabo.

A secretária municipal de Educação de Cataguases, Rosimere Helena de Souza Silva, que representou a prefeitura, disse que o município tem procurado priorizar o ensino profissionalizante para oferecer maiores perspectivas aos jovens. Ela admitiu que Cataguases sofre hoje com o consumo de drogas, prostituição e abuso infantil, que ocorrem principalmente nos distritos do município.

Aids e DSTs - Com relação às doenças sexualmente transmissíveis (DSTs), as mulheres também despontam hoje como um dos focos de preocupação. "A aids atinge hoje principalmente meninas, adolescentes e também os idosos", afirmou a coordenadora municipal de DST/HIV/Aids de Cataguases, Tairises da Silva Roque, que representou a Secretaria de Saúde. Sawan também alertou que, em todo o País, em 2009, pela primeira vez mais meninas que meninos pegaram aids.

De acordo com Tairises, em 2009 foram confirmados cerca de 80 novos casos de aids em Cataguases. Ela avalia que as melhorias no tratamento dos doentes fez com que muitas pessoas relaxassem na prevenção. A coordenadora afirmou que o município supera a média nacional de casos notificados por 100 mil habitantes. "A média nacional é de 18,5. Nós estamos com mais de 20", declarou.

Histórico - Criada pela Assembleia Legislativa em março de 2009, a Comissão Extraordinária tem o objetivo de subsidiar a implantação de políticas públicas coordenadas que possibilitem a reversão dos índices de consumo de drogas e de incidência de DSTs no Estado. O primeiro passo é a realização de um diagnóstico sobre essas questões no Brasil e em Minas. A partir do levantamento, os deputados pretendem apresentar propostas para aprimorar as ações voltadas para a prevenção das DSTs e para o combate ao uso de entorpecentes, além de sugerir melhorias para os programas de assistência social e médica.

Desde maio do ano passado, a comissão já realizou 14 audiências e debates públicos na Capital e no interior do Estado, inclusive em municípios como Araxá (Alto Paranaíba), Corinto (Região Central), Itaúna (Centro-Oeste) e Poços de Caldas (Sul de Minas).

Presenças - Deputado Fahim Sawan (PSDB), coordenador da comissão. Também participaram da reunião o presidente da Comunidade Terapêutica Renascer, Gustavo Leite de Sousa; o diretor da Comunidade Terapêutica Plenitude, Joventino de Oliveira Alves; o diretor da Escola Estadual Marieta Teixeira, Sérgio Santos de Almeida; e a presidente do Conselho da Mulher de Cataguases, Maria Ângela Girardi.

 

 

Responsável pela informação: Assessoria de Comunicação - www.almg.gov.br

Rua Rodrigues Caldas,30 :: Bairro Santo Agostinho :: CEP 30190 921 :: Belo Horizonte :: MG :: Brasil :: Telefone (31) 2108 7715