Procon Assembleia pesquisa preços de ovos de Páscoa e bacalhau

O Procon Assembleia divulga, nesta sexta-feira (26/3/10), uma pesquisa realizada nesta semana sobre os preços de prod...

26/03/2010 - 00:01
Assembleia Legislativa do Estado de Minas Gerais
 

Procon Assembleia pesquisa preços de ovos de Páscoa e bacalhau

O Procon Assembleia divulga, nesta sexta-feira (26/3/10), uma pesquisa realizada nesta semana sobre os preços de produtos tradicionalmente consumidos na Semana Santa - ovo de Páscoa, azeite, bacalhau e outros peixes. A consulta às tabelas dos preços praticados nos estabelecimentos de Belo Horizonte está disponível no site da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (www.almg.gov.br), no menu vertical "Procon".

Em relação aos ovos de Páscoa, doze estabelecimentos foram visitados pelos pesquisadores do Procon, que compararam os preços de dezenas de produtos das marcas Nestlé, Lacta, Garoto e Ferrero Rocher. A partir desse levantamento, o órgão constatou um aumento médio de 34,52% nos preços em relação ao ano passado. O maior reajuste foi aplicado sobre os chocolates da Lacta (145,3%). A Garoto subiu seus preços em 51,4% em média, enquanto que o aumento na Nestlé foi de 12,6% e, na Ferrero Rocher, de 22,91%.

Uma consulta à pesquisa do Procon é altamente recomendada para quem pretende economizar na compra dos ovos de Páscoa. É que a variação de preços em muitos casos passa dos 70% entre um estabelecimento e outro. É o caso, por exemplo, do ovo Amandita, da Lacta, de 375 gramas. Esse produto pode ser encontrado por R$ 19,98 ou por R$ 34,99, uma diferença de 75,13%. O órgão alerta para a possibilidade de mudanças nos preços por parte das revendas após a divulgação da pesquisa e sugere que o consumidor fique atento à data de validade dos ovos e à qualidade das embalagens.

Preço do bacalhau varia até 181%

No caso de azeites, bacalhau e peixes foram pesquisados 24 estabelecimentos. O preço do quilo de bacalhau do porto varia entre R$ 24,90 e R$ 70, uma diferença de 181%. Em relação aos preços praticados em 2009, esse produto ficou em média 24,37% mais barato. Houve queda também no preço do lombo salgado de bacalhau, que no ano passado custava em média R$ 74,72 e, agora, sai a R$ 61,71. Mas nesse produto a variação de preços entre um estabelecimento e outro chega a 269,45%. Já o bacalhau tipo saith apresentou elevação de 12,83% no seu preço médio.

Outros 36 tipos de peixe também foram pesquisados pelo Procon Assembleia, mostrando variações que chegam a 447% (sardinha). Os pescados cujos preços médios mais subiram entre 2009 e 2010 foram o filé de tainha (364,74%) e o filé de corvina (331,27%). Em compensação, o preço médio das postas de namorado e de traíra caiu pela metade em relação ao ano passado.

O Procon pesquisou ainda nove marcas de azeite, em embalagens de 500 ml. Em todas, o preço médio nos 24 estabelecimentos consultados caiu em relação a 2009. O azeite mais barato pode ser encontrado por R$ 9,59, enquanto que o mais caro sai por R$ 16,38, dependendo da marca.

Seguindo orientações da Agência Nacional de Vigilância Sanitária, o Procon Assembleia alerta para os cuidados que o consumidor deve ter no momento de escolher o peixe, a fim de proteger sua saúde. É preciso, por exemplo, ficar atento à qualidade do produto e suas condições de armazenamento. Por ser um produto facilmente perecível, é preciso evitar embalagens sujas, amassadas, estufadas, abertas ou com qualquer alteração. No caso de peixes congelados, o produto só pode ser comercializado em bandejas. O peixe fresco deve ser mantido sob refrigeração ou sobre uma espessa camada de gelo. Já o bacalhau com manchas, vermelhidão e amolecimento está impróprio para o consumo.

 

 

Responsável pela informação: Assessoria de Comunicação - www.almg.gov.br

Rua Rodrigues Caldas,30 :: Bairro Santo Agostinho :: CEP 30190 921 :: Belo Horizonte :: MG :: Brasil :: Telefone (31) 2108 7715