Comissão pede mobilização em Brasília para garantir obras do metrô

A Comissão Especial da Expansão do Metrô irá mobilizar a bancada mineira em Brasília para reivindicar ao Ministério d...

03/09/2003 - 17:16
 

Comissão pede mobilização em Brasília para garantir obras do metrô

A Comissão Especial da Expansão do Metrô irá mobilizar a bancada mineira em Brasília para reivindicar ao Ministério das Cidades e ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva a liberação dos quase R$ 42 milhões dos R$ 61 milhões previstos no orçamento deste ano do governo federal, para as obras do metrô de Belo Horizonte. Em visita às linhas de BH e Contagem nesta quarta-feira (3/9/2003), o presidente da comissão, deputado Célio Moreira (PL), e o relator, deputado Ivair Nogueira (PMDB), afirmaram que a mobilização junto às lideranças do Estado também será feita para garantir, no próximo orçamento, a inclusão de recursos para a continuidade das obras do trecho Calafate/Barreiro, chamado Linha 2. O custo total para o término desse trecho chega aos U$ 173 milhões, que incluem gastos com trens, obras civis, sistemas e desapropriação.

Segundo a Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU), para esse trajeto, em 2003, foram liberados apenas R$ 254 mil dos R$ 35,3 milhões aprovados. Desde o início das obras, em setembro de 1998, o montante liberado foi de 29% do total aprovado. O superintendente da CBTU, Júlio César de Azevedo Braga, pontuou, entre os problemas que as restrições orçamentárias podem causar, a perda dos serviços executados e da terraplanagem e a possível invasão da faixa de domínio já desapropriada, que corresponde a 16% do total. "Novas invasões e benfeitorias em imóveis já cadastrados podem aumentar o custo de desapropriação", alerta. A Linha 2 terá pelo menos seis estações e 10 km de trajeto. Quando concluída, atenderá a um público de 140 mil pessoas por dia. Uma sétima estação poderá ser construída se houver autorização da Companhia Manesmann.

Prejuízo - O vereador de Belo Horizonte Totó Teixeira, que também participou da visita, lembrou que o contrato para a execução das obras, a cargo do consórcio BH Metrô, vence em dezembro próximo. "Se houver paralisação, tudo terá de ser licitado novamente", disse. A situação se agrava, conforme afirma o superintendente da CBTU, devido ao prazo de entrega exigido pelos fornecedores: cerca de 30 meses. "Se pararem as obras do jeito que está, é prejuízo na certa. E quando vierem as chuvas de fim de ano?", questionou o deputado Célio Moreira.

Outro trecho gastará mais R$ 21,5 milhões

Em relação ao trecho da Linha 1, que liga as estações Eldorado e Vilarinho, a conclusão ainda tem um custo estimado de R$ 21,5 milhões - sendo que ainda não foram liberados 35% dos R$ 28 milhões aprovados pelo orçamento. A primeira parte da linha, que liga o Barreiro ao São Gabriel, foi iniciada em 1981 e entrou em operação plena somente 20 anos depois, em 2001. É a segunda parte, que vai do São Gabriel ao Vilarinho, que agora precisa dos recursos. A verba será usada para implantar o sistema de sinalização automática, o novo saguão na estação Central, o Terminal de Integração José Cândido da Silveira e do Controle de Tráfego por Área (sistema de "semáforos inteligentes" no Centro de BH).

Sinalização - A falta da sinalização automática, que ocasionou, no começo deste ano, batida entre trens com saldo de 74 feridos, é uma das providências mais necessárias. A conexão entre os trajetos Barreiro/São Gabriel e São Gabriel/Vilarinho está sendo feita por baldeação - o que provoca atraso na viagem, já que o único trem oferecido pela linha circula a cada 26 minutos. Segundo o superintendente da CBTU, a liberação, ainda em setembro, de R$ 8,45 milhões incluídos no atual orçamento vai garantir que o sistema de sinalização esteja pronto em julho de 2004.

Com 19 estações, a Linha 1 tem extensão de 30 km. Os projetos da CBTU prevêem integração com o tráfego de ônibus da capital e Região Metropolitana, incluindo a transferência do terminal rodoviário de Belo Horizonte do Centro para o Calafate. A CBTU estima que, ao final das obras, as viagens diárias de metrô aumentarão de 110 mil para 400 mil, com conseqüente redução de 8 mil viagens de ônibus por dia entre a região central de BH e as principais avenidas.

Presenças - Participaram da visita os deputados Célio Moreira (PL), presidente; e Ivair Nogueira (PMDB).

 

Responsável pela informação: Assessoria de Comunicação - 31 - 3290 7715