Segurança Pública denuncia quadrilha nacional de roubo de cargas

Mais de 30 pessoas envolvidas; municípios de, no mínimo seis estados brasileiros; e um prejuízo de mais de R$2 milhõe...

07/08/2003 - 18:36
 

Segurança Pública denuncia quadrilha nacional de roubo de cargas

Mais de 30 pessoas envolvidas; municípios de, no mínimo seis estados brasileiros; e um prejuízo de mais de R$2 milhões a seguradoras, bancos e outras empresas. Esse é o resultado das investigações policiais realizadas até agora, em Juiz de Fora e região, sobre uma quadrilha nacional de furto, roubo de carga, desmanche de veículos, receptação e adulteração de caminhões e tráfico de drogas. As informações foram prestadas por delegados da Polícia Civil e inspetores da Polícia Rodoviária Federal à Comissão de Segurança Pública, que visitou a 7ª Delegacia Regional de Segurança Pública de Juiz de Fora, nesta quinta-feira (7/8/2003).

A reunião foi realizada em três fases, duas abertas à imprensa e uma fechada, na qual foram revelados os nomes de quatro pessoas investigadas que pertenceriam à quadrilha. Segundo o delegado adjunto da Delegacia de Furtos e Roubos de Veículos, Eurico da Cunha Neto, dois dos suspeitos já tiveram prisão preventiva decretada - Joélio Alves da Costa e sua mulher, Rita Cristina Assis Costa -, mas estão foragidos. Como os outros dois ainda não tiveram prisão preventiva decretada, seus nomes não foram revelados. O delegado informou também que o número de pessoas na quadrilha pode passar de 30.

Já o inspetor da Polícia Rodoviária Federal, Wallace Luís Winchanshy, disse que as investigações tiveram início com a apreensão de dois caminhões que transportavam peças de veículos em ótimo estado de conservação sem as devidas notas fiscais. Um dos veículos, que foram depois encaminhados à 7ª DRSP/MG, tinha placa confeccionada na cidade e documentação da Bahia.

Pelo depoimento dos envolvidos, a Polícia Civil obteve uma lista com 78 placas feitas de forma ilegal para diversas cidades nos estados de Minas Gerais, São Paulo, Espírito Santo, Goiás, Rio de Janeiro, Paraná, dentre outros. As investigações conduzidas pelo delegado Eurico Neto levam à conclusão de que o "cérebro" da quadrilha funcionaria em Juiz de Fora, cidade onde ocorreria o desmanche dos veículos roubados, a confecção das placas e ainda golpes aplicados em seguradoras.

Deputados pedem providências para auxiliar investigações

Para auxiliar as investigações das polícias Civil e Rodoviária Federal, a Comissão de Segurança Pública aprovou três requerimentos em que são encaminhados ofícios pedindo providências a autoridades em relação às investigações: ao delegado Regional de Juiz de Fora, Antônio Garcia de Freitas, solicitando que sejam enviadas à comissão fotocópias dos inquéritos em que figuram como acusados os quatro investigados que tiveram prisão preventiva decretada; ao superintendente da PRF solicitando que sejam intensificadas as operações conjuntas com as polícias Civil e Militar do Estado, visando coibir o aumento da criminalidade; ao juiz da 1ª Vara Criminal de JF, solicitando que ele informe à comissão o número de processos que correm nessa vara envolvendo os quatro denunciados.

Além desses três requerimentos, foram aprovados outros dois. O primeiro, do deputado Sargento Rodrigues (PDT), presidente da comissão, pedindo audiência pública para discutir as mortes de detentos nas delegacias de Furtos e Roubos e de Tóxicos, e as condições de trabalho dos servidores nesses estabelecimentos. Para essa reunião, serão convidados os delegados titulares das duas delegacias, o chefe da Polícia Civial, o Secretário de Estado de Defesa Social e o subsecretário de Administração Penitenciária. O segundo requerimento, de autoria do deputado Alberto Bejani (PL), vice-presidente da comissão, pede que seja enviado ofício ao chefe do Detran-MG, solicitando informar se a empresa Estampa Placas e Letreiros é credenciada ou tem autorização desse órgão para confeccionar placas de veículos, o tempo de atuação e o responsável pela empresa.

Presenças - Compareceram à reunião os deputados Sargento Rodrigues (PDT), presidente; Alberto Bejani (PL), vice e Biel Rocha (PT).

Criminalidade em números

* Dados da CPI do Roubo de Carga, do Congresso Nacional:

- O prejuízo no País por roubos de carga chegou ao total de R$ 600 milhões em 2001, contra R$ 25 milhões em 1992.

- Os ataques a caminhões aumentaram em mais de 2.000% nos últimos 10 anos.

- A região Sudeste é o principal alvo dos bandidos, com 80% dos casos registrados no País. O nordeste registra o total de 8%; o sul, 7%; o centro-oeste, 4%; e o norte, 1%.

* Dados do Detran de Minas Gerais:

- Aumentou em 29% os casos de furtos e roubos de automóveis em Minas de 2001 para 2003. De janeiro a junho de 2001, foram registrados 9.532 casos envolvendo furtos e roubos de veículos. Já em junho de 2003,o total de ocorrências subiu para 12.288.

 

Responsável pela informação: Assessoria de Comunicação - 31 - 3290 7715