Presidente faz avaliação positiva da convocação extraordinária

Ao comentar o custo da convocação extraordinária da Assembléia Legislativa, o presidente Mauri Torres (PSDB) afirmou,...

14/07/2003 - 22:30
 

Presidente faz avaliação positiva da convocação extraordinária

Ao comentar o custo da convocação extraordinária da Assembléia Legislativa, o presidente Mauri Torres (PSDB) afirmou, nesta segunda-feira (14/7/2003), que o governador Aécio Neves deve ter pesado a necessidade de se avançar na reforma administrativa com o custo. Em entrevista à imprensa, durante a suspensão dos trabalhos do Plenário, para que algumas matérias fossem apreciadas nas Comissões, Torres lembrou que o governador, com sua experiência de 16 anos na Câmara dos Deputados deve ter avaliado como positiva a convocação, dada a necessidade de fazer a reestruturação administrativa do Estado.

Para o presidente Mauri Torres, a avaliação deste período de trabalho é positiva, na medida em que a Assembléia está debatendo e votando todos os projetos encaminhados pelo Executivo, de maneira produtiva e em tempo recorde. "Nenhum parlamento no País apresentou um volume de trabalho como a Assembléia de Minas, que apreciou, discutiu, votou e aprovou toda a reforma em menos de 90 dias", disse ele. O governador Aécio Neves encaminhou a mensagem com os projetos da reforma administrativa no dia 15 de maio.

Mauri Torres acredita que a convocação extraordinária era mesmo necessária, já que a Assembléia não teve tempo hábil de votar os projetos do governador, "mesmo com o adiamento do recesso, que só começou em 4 de julho". O recesso, pelo Regimento Interno da Assembléia, deve começar em 30 de junho. O presidente informou ainda que um terço da reforma foram votados antes da convocação extraordinária.

Enfatizando que cumpriu o prometido - que não convocaria, ele mesmo, a sessão extraordinária - , Mauri Torres destacou que faz uma avaliação positiva dos trabalhos, já que foram aprovados projetos de grande complexidade e em pouco tempo. "A Assembléia de Minas avançou muito, se comparado com o próprio Congresso Nacional, que entrou em recesso dia 26 de junho, foi convocado extraordinariamente dia 27 e até agora não apreciou nada", lembrou ele.

O semestre na Assembléia foi considerado positivo pelo presidente Mauri Torres, que destacou os avanços da área administrativa, como a implantação do pregão eletrônico, a instalação das Comissões de Ética, de Participação Popular e da Ouvidoria. E os avanços do processo legislativo com a apreciação de muitas proposições e, sobretudo, da reforma administrativa do Executivo. O presidente disse ainda que quanto à indicação do assessor jurídico para acompanhar os trabalhos do grupo que estuda salários altos da Casa, só irá cuidar disso, quando todos os trabalhos da reforma estiverem concluídos.

 

Responsável pela informação: Assessoria de Comunicação - 31 - 3290 7715