Presidente afirma que ato da polícia foi fato isolado

Abaixo, a íntegra do pronunciamento feito pelo presidente da Assembléia Legislativa de Minas Gerais, deputado Mauri T...

26/06/2003 - 20:15
 

Presidente afirma que ato da polícia foi fato isolado

Abaixo, a íntegra do pronunciamento feito pelo presidente da Assembléia Legislativa de Minas Gerais, deputado Mauri Torres (PSDB), ao encerrar a Reunião Extraordinária da noite de quarta-feira (25/06/2003), durante a qual vários deputados discursaram comentando o ato de policias civis em frente à Assembléia, realizado no início da mesma noite:

"A Presidência esclarece ao Plenário que todas as iniciativas com relação ao episódio de hoje (obs.: quarta-feira, 25) à tarde, que lamentamos muito, já foram tomadas, em contatos com S. Exa., o Governador, e com outras autoridades do Estado. Naturalmente, continuaremos tomando as devidas providências.

Aproveito a oportunidade para levar os sentimentos desta Presidência e desta Casa à família enlutada do policial civil sepultado hoje, o que também lamentamos muito. Essa situação não ocorre apenas na Polícia Civil, mas também na Polícia Militar, no Judiciário, no Ministério Público e, inclusive, com a classe política, já que alguns de seus membros foram assassinados pelo crime organizado. Enfim, esse fato, infelizmente, está ocorrendo com toda a sociedade brasileira, o que é lamentável. Mas esperamos que a força deste e de todos os parlamentos do País possa servir para consolidar o regime democrático brasileiro.

Na reunião de amanhã (obs.: quinta-feira, dia 26), às 9 horas, trataremos novamente desse assunto, quando teremos mais Deputados na Casa. Quando o Plenário estava cheio, a Presidência estava em contato com o Governador solicitando providências, que certamente serão tomadas exemplarmente.

Às vezes, fato isolado de desequilíbrio de membro de corporação ou parlamento não pode atingir a toda essa corporação, que sabemos tem compromisso com a sociedade e com o povo do nosso Estado. Lamentamos o fato ocorrido, mas temos certeza de que todos estamos imbuídos em fortalecer o sistema democrático brasileiro. Até porque na história da nossa República estamos passando pelo período mais longo de democracia que vivemos.

Quem não viveu o regime autoritário não sabe o que é crescer, dos 13 aos 40 anos, sem ter podido votar para Presidente da República e viver os episódios que todos vivemos. Esse episódio leva ao fortalecimento de todos nós, para que a classe política, se una indiferentemente das cores partidárias e das lideranças políticas em favor dos interesses maiores da sociedade, que é o fortalecimento do exercício democrático e do direito de ir e vir de cada um dos nossos cidadãos."

 

Responsável pela informação: Assessoria de Comunicação - 31 - 3290 7715