Ciro Gomes discute na Assembléia a recriação da Sudene

A proposta de recriação da Superintendência de Desenvolvimento do Nordeste (Sudene) será discutida na Comissão de Ass...

22/05/2003 - 17:47
 

Ciro Gomes discute na Assembléia a recriação da Sudene

A proposta de recriação da Superintendência de Desenvolvimento do Nordeste (Sudene) será discutida na Comissão de Assuntos Municipais da Assembléia em audiência pública a ser realizada na manhã da próxima sexta-feira, dia 30 de maio, no Plenário. Está confirmada a presença do ministro Ciro Gomes, da Integração Nacional, que é responsável pelo grupo interministerial de trabalho constituído para reerguer a superintendência. A coordenadora desse grupo, Tânia Bacelar, também estará presente. Bacelar vem de uma maratona de reuniões e debates com políticos, autoridades e entidades de classe para colher subsídios à proposta que o GTI tem que formatar e apresentar ao presidente Lula até o dia 27 de junho.

A deputada Elbe Brandão, secretária de Estado Extraordinária para o Desenvolvimento dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri e do Norte de Minas, também confirmou presença no evento. A recriação da Sudene, com linhas de crédito para o desenvolvimento regional e incentivos aos municípios, interessa de perto aos 187 municípios mineiros incluídos na área. A proposta de realização desta reunião foi da deputada Cecília Ferramenta (PT), sob o argumento de que "os agentes políticos e a sociedade civil mineira devem contribuir para a estruturação de um novo órgão com uma visão moderna de desenvolvimento regional".

Extinta por medida provisória

A criação da Sudene foi sugerida em 1959 ao então presidente Juscelino Kubitschek pelo economista Celso Furtado. Durante 42 anos trabalhou diversos modelos de desenvolvimento regional, concedendo incentivos e financiamento a empreendimentos dentro do chamado Polígono das Secas. A Sudene cumpriu um papel fundamental na redução das desigualdades entre o Nordeste e a região Centro-Sul do país. Em maio de 2001, colhida em meio a denúncias de corrupção e desvios de mais de R$ 1 bilhão, a Sudene foi extinta por medida provisória pelo presidente Fernando Henrique Cardoso, "sem consulta ao povo do Nordeste", conforme criticou na época o veterano Celso Furtado.

Furtado é o primeiro nome na lista de notáveis que o presidente Lula convidou para analisar a recriação da Sudene. Outros nomes de expressão são a economista Maria da Conceição Tavares, o cientista franco-polonês Ignacy Sachs e o economista mineiro Clélio Campolina, ex-diretor do Cedeplar-UFMG.

Depois de décadas contemplando apenas os municípios mineiros propriamente inscritos no Polígono das Secas, a Sudene passou a abranger também municípios dos vales do Jequitinhonha e do Mucuri. O processo foi liderado pela então senadora Júnia Marise, e resultou na lei 9.690, de 15/7/98, que incluiu 45 municípios mineiros na área da Sudene.

 

Responsável pela informação: Assessoria de Comunicação - 31 - 3290 7715