Plenário homenageia Aureliano Chaves; enterro será em Itajubá

A reunião ordinária de Plenário foi suspensa em sinal de pesar pela morte, nesta quarta-feira (30/4/2003), do ex-vice...

30/04/2003 - 16:11
 

Plenário homenageia Aureliano Chaves; enterro será em Itajubá

A reunião ordinária de Plenário foi suspensa em sinal de pesar pela morte, nesta quarta-feira (30/4/2003), do ex-vice-presidente Aureliano Chaves, que foi também deputado estadual e federal e governador do Estado. A solicitação partiu do líder da Maioria, deputado Miguel Martini (PSB), que destacou a defesa da soberania e riquezas nacionais pelo ex-governador. O corpo será velado no Palácio da Liberdade, a partir das 20 horas. Às 7 horas desta quinta, o corpo segue para a Igreja Matriz de Três Pontas, terra natal de Aureliano Chaves, onde será realizada missa. O sepultamento está previsto para as 17 horas, em Itajubá.

O deputado Dilzon Melo (PTB), que presidia a reunião ordinária, destacou que Minas Gerais e o Brasil perderam um dos grandes homens públicos do nosso tempo. O deputado lembrou que, mesmo sem exercer cargos públicos, Aureliano Chaves não deixava de participar das grandes discussões. Entre elas, o Ciclo de Debates "Colapso Energético e Alternativas para a Crise" e o Ato contra a Privatização de Furnas, promovidos pela Assembléia de Minas em 2001. No ciclo de debates, Aureliano Chaves fez severas críticas ao processo de privatizações implementado pelo governo federal, afirmando que ele atendeu apenas aos interesses do Fundo Monetário Internacional (FMI). O ex-ministro das Minas e Energia também acreditava que a privatização do setor energético não deu garantias ao usuário de que suas necessidades de consumo seriam sempre supridas.

Deputados que falaram - Os deputados que comentaram a morte de Aureliano Chaves, destacando suas qualidades de homem público, sua honradez, dignidade e nacionalismo, foram os seguintes: Paulo Piau (sem partido), Carlos Pimenta (PDT), Dalmo Ribeiro Silva (PSDB), Antônio Carlos Andrada (PSDB) e Miguel Martini (PSB), além do deputado Dilzon Melo (PTB), que presidia a reunião.

Trajetória do político foi extensa

Nascido em 13 de janeiro de 1929, Aureliano Chaves iniciou a carreira política no final da década de 1950, elegendo-se suplente de deputado estadual pela UDN e sendo efetivado em 1961. Ele renunciou ao mandato em outubro de 1962. No ano seguinte, elegeu-se deputado estadual até 1967 e foi secretário de Estado da Educação e de Comunicação e Obras Públicas no governo de Magalhães Pinto (1961/66). No final de 1965, vinculou-se à Arena. Foi deputado federal de 1967 a 1975.

Em março de 1975, assumiu o governo de Minas Gerais, indicado pelo presidente da República. Em julho de 1978, renunciou ao cargo para concorrer à vice-presidência da República. O mandato começou em março do ano seguinte, pelo PDS. No início de 1985, liderou a transformação da Frente Liberal em partido político, o Partido da Frente Liberal (PFL).

 

Responsável pela informação: Assessoria de Comunicação - 31 - 3290 7715