Legalização dos jogos é tema de Ciclo de Debates no dia 21/8

A legalização dos jogos é tema de Ciclo de Debates que será promovido pela Assembléia de Minas, no dia 21/8/2002, qua...

19/08/2002 - 16:04
 

Legalização dos jogos é tema de Ciclo de Debates no dia 21/8

A legalização dos jogos é tema de Ciclo de Debates que será promovido pela Assembléia de Minas, no dia 21/8/2002, quarta-feira. O evento acontece em Plenário e será realizado durante toda a manhã, a partir das 8 horas. Os palestrantes e debatedores representam as Loterias dos Estados do Rio de Janeiro, de Santa Catarina e de Alagoas, bem como a Associação Brasileira de Bingos, o Sindicato dos Funcionários de Bingos de Minas e a Associação dos Diretores das Empresas de Prognósticos Numéricos do Estado.

A passagem dos jogos ("jogo do bicho" e caça-níqueis) da clandestinidade para a economia formal, a geração de empregos e os resultados diretos em benefício do social serão os assuntos abordados no evento, intitulado "Jogo: realidade e legalidade". A atividade dos bingos também será discutida. O autor do requerimento que solicitou o Ciclo de Debates, deputado Alencar da Silveira Júnior (PDT), será também o seu coordenador.

De acordo com o parlamentar, o ciclo de debates "é uma forma de mobilizar a sociedade e o Legislativo mineiro, para que comecem a refletir sobre a questão da evasão de receitas, o desemprego e o papel de órgãos federais." Segundo informações da Assessoria de Imprensa do deputado, Santa Catarina, Alagoas, Ceará e Rio de Janeiro são os estados onde os caça-níqueis funcionam sob a responsabilidade das loterias locais.

Perda de receita - Com relação aos caça-níqueis, Minas Gerais teria sofrido uma perda de receita, desde abril de 2000, de cerca de R$ 3,3 milhões, como informa a Assessoria de Imprensa do deputado Alencar da Silveira Júnior. Se fosse cumprido o cronograma de regulamentação das máquinas caça-níqueis, a arrecadação seria de R$ 6,6 milhões, sendo que, deste total, 51% entrariam para os cofres do Estado através da Loteria Mineira. O cronograma previa a identificação e selagem de 20 mil máquinas, a R$ 330,00 o selo. Segundo estimativa de Alencar da Silveira Júnior, atualmente cerca de 70 mil máquinas devem estar operando na clandestinidade.

PROGRAMAÇÃO DO CICLO DE DEBATES

Dia 21 de agosto

8 horas

* Abertura: presidente da Assembléia de Minas, deputado Antônio Júlio (PMDB), e presidente da Loteria do Estado de Minas Gerais, coronel Mauro Lúcio Gontijo

8h30

* "Legalizar é preciso: da clandestinidade para a economia formal"

Os palestrantes são o ex-presidente da Loteria do Estado do Rio de Janeiro (Loterj) Daniel Homem de Carvalho e o diretor de Loterias da Loteria do Estado de Santa Catarina (Lotesc), Florindo Testoni Filho

Os debatedores são o presidente da Associação Brasileira de Bingos (Abrabin), Olavo Sales da Silveira, e o advogado João Batista Pinto de Castro Sobrinho

10h30

* "Geração de empregos e resultados diretos em benefício do social"

O palestrante é o diretor-presidente da Loteria Social do Estado de Alagoas (Loteal), Carlos Beltrão. Os debatedores são os seguintes: Claudiney José de Souza, representante do Sindicato dos Funcionários de Bingos de Minas Gerais; e o presidente da Associação dos Diretores das Empresas de Prognósticos Numéricos de Minas Gerais (Apron/MG), Hélio Morais Nelinho.

O coordenador é o deputado Alencar da Silveira Júnior (PDT).

 

Responsável pela informação: Assessoria de Comunicação - 31 - 3290 7715