Pesquisador sugere incentivos para uso de energia renovável

A concessão de incentivos à utilização de energia renovável, principalmente a biomassa, foi a principal sugestão apre...

23/05/2002 - 20:09
 

Pesquisador sugere incentivos para uso de energia renovável

A concessão de incentivos à utilização de energia renovável, principalmente a biomassa, foi a principal sugestão apresentada à CPI das Carvoarias, nesta quinta-feira (23/5/2002), pelo pesquisador e engenheiro metalúrgico Ronaldo Santos Sampaio. Outra proposta seria a criação de um fundo de proteção aos trabalhadores, para o qual seriam revertidos os valores arrecadados com as multas aplicadas às empresas do setor.

Segundo Ronaldo Santos Sampaio, não se pode apenas limitar a atividade carvoeira ou criar e aplicar leis restritivas a ela. "Não se deve tirar o alicerce sem conceder um outro caminho. Se não for oferecida outra oportunidade, esses trabalhadores irão sair das minas para irem morar nas favelas", declarou. Ele também salientou a necessidade de se educar, treinar e preparar os carvoeiros. Sampaio criticou os garimpeiros por não preocupam com a origem do insumo usado no bem produtivo.

O pesquisador disse que não há nenhum país com maior potencial que o Brasil para a produção de energia renovável. "A energia fóssil é o caminho mais fácil para os empresários. A produção do carvão vegetal requer um trabalho de pesquisa e proteção das florestas contra pragas e incêndios. Há agregação de valor e leva-se sete anos para entrar no ciclo de produção", comentou.

Ronaldo Sampaio falou que a energia renovável é uma alternativa a ser construída a longo prazo. De acordo com ele, esse tipo de atividade favorece a recomposição da camada de ozônio da atmosfera. "A produção de carbono fóssil agride o meio ambiente, pois tira oxigênio da atmosfera e libera gás carbônico", afirmou.

ENERGIA RENOVÁVEL AUMENTA RENDIMENTOS

Doutor em engenharia metalúrgica, o professor Paulo César da Costa Pinheiro informou que a indústria de carbono em Minas Gerais emprega cerca de 50 mil pessoas e a siderúrgica de carvão vegetal, 70 mil trabalhadores. Segundo ele, a utilização de energia renovável aumenta os rendimentos, diminui a poluição e propicia melhorias nas condições de trabalho.

Paulo César salientou a importância de se valorizar essa forma de produção de energia, para que o Estado não fique sempre dependendo de energia externa. Sobre as condições de trabalho existentes no setor, ele disse que é preciso estabelecer mecanismos de controle da utilização de equipamentos de segurança e melhorar a vigilância para cumprimento da lei.

O presidente da Comissão, deputado Adelmo Carneiro Leão (PT), afirmou que o Estado, assim como as empresas, também possui sua parcela de responsabilidade em relação aos problemas decorrentes das atividades carvoeiras. Ele salientou a necessidade de serem denunciadas as atividades das empresas e os processos de terceirização que levam à precarização do trabalho.

Presenças - Participaram da reunião os deputados Adelmo Carneiro Leão (PT), presidente da comissão; Elbe Brandão (PSDB), relatora; Bilac Pinto (PFL); Dalmo Ribeiro Silva (PPB); Márcio Cunha (PMDB); e Marco Regis (PL).

 

Responsável pela informação: Assessoria de Comunicação - 31 - 3290 7715