Subsecretária diz que não há fechamento de cursos noturnos

"Não está havendo fechamento de nenhum curso noturno". A afirmação é da subsecretária estadual de Educação, Maria Ste...

12/12/2001 - 16:07
 

Subsecretária diz que não há fechamento de cursos noturnos

"Não está havendo fechamento de nenhum curso noturno". A afirmação é da subsecretária estadual de Educação, Maria Stela Nascimento, que compareceu à reunião da Comissão de Educação, Cultura, Ciência e Tecnologia nesta quarta-feira (12/12/2001), para prestar esclarecimentos sobre o fechamento de cursos em escolas da rede pública estadual. Segundo ela, existem, em Minas Gerais, 120 Centros Estaduais de Ação Continuada (Cesecs) para a educação de jovens adultos, além das tele-salas. Maria Stela informou que a criação de novas vagas está condicionada ao aproveitamento de espaços físicos ociosos existentes nas escolas, bem como à disponibilidade de professores.

O deputado Paulo Piau (PFL) disse que a Comissão visitou dez macrorregiões do Estado e que, na prática, o Estado está falhando. "Não se oferece oportunidades para os alunos que trabalham durante o dia e que se encontram fora da faixa etária normal", comentou. O deputado ainda questionou a qualidade do ensino dos Cesecs. "É preciso parar de fazer da educação uma plataforma política e fazê-la um fator de desenvolvimento", declarou.

Participação - O presidente da Federação das Associações de Pais e Alunos das Escolas Públicas de Minas Gerais (Fapaemg), Mário de Assis, disse que a Secretaria de Estado da Educação (SEE) faz os projetos, por meio de sua equipe técnica, sem ouvir a comunidade envolvida. Para Assis, a educação no Estado está sendo sucateada. "Falta participação no contexto educacional", concluiu. Para o diretor do Centro Interescolar de Línguas de Uberaba (Ciel), Sebastião Silva, há defasagem na qualidade da educação. "Existe um distanciamento da Secretaria em relação ao planejamento de suas ações. Queremos participar para obter um maior desenvolvimento", comentou. O diretor também disse que a abertura de novas vagas no turno da noite deve ser condicionada à demanda da comunidade em relação a esses cursos.

Maria Stela disse que as definições da Secretaria são tomadas em conjunto, escutando os colegiados e as regionais, além das entidades representativas de professores. "É necessária a formação de um tripé para o bom funcionamento da educação, com a participação da família, das escolas e da comunidade", disse. A subsecretária informou que os Cesecs atendem aqueles alunos que não podem ir à escola todos os dias. "Lá, eles contam com um atendimento quase que individualizado, e eles voltam ao Cesec sempre que precisam de esclarecimentos. Esses alunos têm duas opções de avaliação: uma, pelo processo, e outra, no exame de massa, que acontece duas vezes ao ano, em julho e em dezembro", explicou.

Presenças - Compareceram à reunião os deputados Paulo Piau (PFL), presidente da Comissão, Dalmo Ribeiro Silva (PPB) e José Henrique (PMDB).

 

Responsável pela informação: Assessoria de Comunicação - 31 - 3290 7715