Comissão do Esporte debate privatização do Mineirão

A privatização do Mineirão foi discutida pela Comissão Especial do Esporte, nesta quarta-feira (7/11/2001), com o pre...

11/12/2001 - 17:56
 

Comissão do Esporte debate privatização do Mineirão

A privatização do Mineirão foi discutida pela Comissão Especial do Esporte, nesta quarta-feira (7/11/2001), com o prefeito de Ribeirão das Neves, Dirceu Pereira, e o jornalista da Rede Bandeirantes de Televisão Francisco Maia. Pereira, que representou a Associação Mineira de Cronistas Esportivos (AMCE) e a Associação Mineira de Rádio e Televisão (Amirt/MG), declarou ser contrário à proposta de privatização do Estádio Governador Magalhães Pinto. Ele presidiu por seis anos a Administração dos Estádios de Minas Gerais (Ademg) - autarquia que controla o Mineirão e o Mineirinho - e concluiu que repassar o estádio para empresas privadas seria prejudicial ao esporte mineiro. "Não podemos competir com o capital oriundo de outros Estados. Correremos o sério risco de perder o comando do maior templo de Minas para pessoas que não são ligadas aos mineiros", disse.

Parceria com a AMCE - Acreditando que o projeto de privatizar o Mineirão é "caminhar pela contramão", o prefeito salientou que o estádio é rentável. Ele argumentou dizendo que a Ademg pode explorar as placas publicitárias e as feiras que ocorrem no estacionamento e, por isso, não depende do governo para se manter. Pereira lembrou ainda que, durante 28 anos, a Ademg teve na presidência cronistas esportivos e, por isso, segundo ele, não houve problemas na administração. "Os cronistas são pessoas que conhecem muito bem a situação do esporte mineiro e têm embasamento para coordenar os estádios", declarou. Ele informou à Comissão que deixou a Ademg com R$ 1,6 milhão em caixa e sugeriu que a melhor proposta para o Mineirão é a parceria administrativa entre a AMCE e o governo. "Creio que essa sugestão é a mais viável para a correta gestão do Mineirão. Com a adoção do regime de comodato, não corremos o perigo de perde o espaço, tão relevante para Minas Gerais", concluiu.

SUPER-EXPLORAÇÃO DO MINEIRÃO É DEFENDIDA

O jornalista Francisco Maia defendeu a idéia de uma super-exploração do Mineirão. Segundo Maia, o uso do estádio não pode se restringir a eventos esportivos. "Acho que o espaço deveria ser destinado a todo tipo de espetáculo. Não podemos permitir que uma obra daquela grandeza seja somente usada para fins desportivos", declarou. O jornalista disse que se encontrou com os principais nomes do esporte mineiro para comparecer à reunião. "Preferi levantar dados com os desportistas mais importantes para poder ter um maior conhecimento dos problemas relativos ao setor", afirmou Maia. Ele constatou que o esporte especializado está sofrendo atualmente, pois os clubes não possuem condições de manter os atletas. "Além disso, com a ausência da educação física no currículo escolar, deixamos de fabricar jovens valores para as modalidades olímpicas. Devemos criar leis que incentivam os clubes, pois eles desenvolvem um trabalho social de forma ímpar", concluiu.

Foi aprovado ainda requerimento do deputado Bené Guedes (PDT), presidente da Comissão, que convida representantes das escolas de educação física do Estado de Minas Gerais a participarem de reunião.

Presenças - Estiveram presentes à reunião os deputados Bené Guedes (PDT), presidente da Comissão; Ivair Nogueira (PMDB), relator; e João Pinto Ribeiro (PTB).

 

Responsável pela informação: Assessoria de Comunicação - 31 - 3290 7715