CPI do Leite é instalada após manifestação de produtores

A Assembléia Legislativa de Minas Gerais instalou, nesta quarta-feira (29/8/2001), a CPI do Leite, criada para apurar...

29/08/2001 - 17:42


 CPI do Leite é instalada após
manifestação de produtores

 

A Assembléia Legislativa de Minas Gerais instalou, nesta quarta-feira (29/8/2001), a CPI do Leite, criada para apurar os mecanismos de formação do preço do leite na indústria e no comércio e investigar indícios de cartelização no setor. Os integrantes da comissão parlamentar de inquérito foram indicados na última terça-feira (28) e, nesta quarta, na primeira reunião da CPI, o deputado João Batista de Oliveira (PDT) foi eleito presidente e o deputado Paulo Piau (PFL), vice-presidente. O deputado Luiz Fernando Faria (PPB) foi designado relator, tendo como co-relator o deputado Márcio Kangussu (PPS). Nesta quinta-feira (30), a CPI tem reunião marcada para as 14h30, no Plenarinho IV, para programar os trabalhos.

A primeira reunião da CPI ocorreu em Plenário, após a realização de um ato público no Hall das Bandeiras que contou com a participação de cerca de 1,5 mil produtores de sindicatos rurais de todo o Estado, além de diversos deputados estaduais, do presidente da Casa, deputado Antônio Júlio (PMDB), e do presidente da Federação da Agricultura (Faemg), Gilman Viana Rodrigues. Antes de comparecer ao ato público, pela manhã, o presidente Antônio Júlio recebeu parlamentares da CPI do Leite e representantes dos produtores rurais, no Salão Nobre. Eles pediram o apoio e a infra-estrutura da Casa para o desenvolvimento dos trabalhos da comissão parlamentar de inquérito, que deverá percorrer o interior de Minas em reuniões itinerantes nas áreas produtoras de leite.

Cartelização - Antônio Júlio defendeu a definição de uma política para o setor, lembrando que, agora, na entressafra, quando seria o momento de recuperação econômica para os produtores, houve queda no preço do leite, o que poderia indicar cartelização no segmento. Antônio Júlio também ressaltou a importância do trabalho parlamentar e do Poder Legislativo, citando como exemplo o debate sobre o leite.

Deputados da CPI do Leite e o presidente da Faemg concederam, ainda, entrevista coletiva na Sala de Imprensa da Assembléia.

DEPUTADOS FAZEM DEFESA DO PEQUENO PRODUTOR

Em Plenário, durante a reunião da CPI, o presidente da Comissão, deputado João Batista de Oliveira (PDT), agradeceu o apoio e a confiança dos colegas e disse que solicitará ao governador Itamar Franco uma audiência para discutir o problema do leite. Ele enfatizou que é necessária uma mobilização permanente para dar sustentação política à CPI. "A indústria escraviza o produtor e o leva à desmobilização", opinou. O vice-presidente eleito, deputado Paulo Piau (PFL), afirmou que a CPI tentará realizar um trabalho à altura dos produtores rurais de Minas Gerais. Segundo ele, é preciso desvendar, entre outras, a seguinte questão: por que os preços pagos ao produtor e os preços pagos pelo consumidor têm uma diferença de cinco vezes?

Segundo o relator designado, deputado Luiz Fernando Faria (PPB), os integrantes da Comissão são ligados à classe rural e conhecem bem as dificuldades dos produtores. Já o co-relator, deputado Márcio Kangussu (PPS), informou que agendará uma reunião na Região Nordeste de Minas para discutir, com produtores e consumidores, a formação do preço do produto. "Essa CPI tem por finalidade abrir a caixa preta do leite branco", finalizou.

"A intenção da CPI é ajudar o pequeno e médio produtor rural", completou o deputado Cristiano Canêdo (PTB). Ele informou que a pecuária leiteira é responsável por 10% dos empregos em Minas Gerais. Outro integrante da Comissão, deputado Kemil Kumaira (PSDB), elogiou, em seu discurso em Plenário, a atuação da Faemg (Federação da Agricultura), enfatizando que não foram tomadas providências nem pelo governo nem pelos parlamentares para resolver o problema. "O preço do leite hoje é uma punição para aqueles que lutam com tanta dificuldade", afirmou.

Presenças - Participaram da reunião da CPI do Leite, realizada no Plenário, os deputados João Batista de Oliveira (PDT), presidente; Paulo Piau (PFL), vice-presidente; Luiz Fernando Faria (PPB), relator; Márcio Kangussu (PPS), co-relator; Cristiano Canêdo (PTB), Kemil Kumaira (PSDB) e Antônio Andrade (PMDB).

FAEMG ENTREGA DOCUMENTO À PRESIDÊNCIA

O presidente da Federação da Agricultura, Gilman Viana Rodrigues, entregou ao presidente Antônio Júlio documento agradecendo a instalação da CPI, a fim de apurar o que vem ocorrendo na cadeia produtiva do leite. O documento, lido por lideranças rurais durante a manifestação no Hall das Bandeiras, ressalta que o período atual - de entressafra - é, geralmente, a época em que os preços se recuperam, com patamares remuneratórios compensadores. Contraditoriamente, os preços caíram, o que induz a receios de manipulação. A Faemg ressalta que é preciso conhecer os estoques e as margens de ganho de produtores, cooperativas e indústrias. Segundo a federação, a partir de julho - em plena entressafra - os preços ao produtor começaram a cair. Em Minas, as cotações saíram de um patamar médio de R$ 0,45 para até R$ 0,25 por litro. As indústrias alegam excesso de oferta, mas não há queda de preços ao consumidor, conclui a federação.

 

Responsável pela informação: Assessoria de Comunicação - 31-32907715