Comparativo do consumo de abril e maio em kWh

2001 Abril Maio % de economia Edifício Tiradentes 92.315 76.827 16,78 Palácio da Inconfidência 272.400 220.800 18,94 ...

22/06/2001 - 15:31


 

Assembléia reduz consumo de energia em 18,2%

Antes mesmo de implantar todas as ações previstas no Programa de Racionalização de Energia da Assembléia Legislativa, a Casa registrou uma redução de 18,2% no consumo do mês de maio, percentual já bem próximo da meta pretendida, que está fixada em 20% . Essa é a primeira conta da Cemig que chega, depois de anunciado o programa da Assembléia, que integra o esforço de toda a sociedade brasileira para reduzir o consumo de energia e evitar o racionamento através de uma política de "apagões".

A conta traz a leitura do consumo registrado no mês de maio. Naquela época, a Gerência-Geral de Manutenção e Serviços (GMS) já vinha adotando algumas medidas para a redução do consumo de energia, como a diminuição de cinco horas no horário de funcionamento da gráfica; de quatro horas no funcionamento do sistema central de ar condicionado; de um percentual médio de 30% na taxa de iluminação das áreas comuns do Palácio da Inconfidência e de quase 50% no Edifício Tiradentes. Foi só depois do dia 23 de maio, quando a Mesa da Assembléia aprovou o Relatório da GMS com todas as ações do programa, é que outras medidas, como a mudança do horário-núcleo, a redução do número de eventos noturnos e de mais três horas no funcionamento do ar foram adotadas.

"Essa conta, portanto, não reflete toda a nossa capacidade de economia, mas já traz um resultado bastante satisfatório", observa o gerente-geral, Cristiano Félix dos Santos Silva. O maior percentual de redução foi do estacionamento da rua Dias Adorno, de 43,6%, obtido com o simples corte da iluminação em 50%. A economia mais significativa, no entanto, foi do Palácio da Inconfidência, que passou de um consumo mensal de 272 mil 400 kwh/mês para 220 mil 800, representando uma redução de 51 mil 600 kwh/mês. Esse desempenho foi possível, principalmente, pela diminuição das horas de funcionamento do sistema central do ar condicionado, que, em maio, já havia sido reduzido em quatro horas.

Conta vem mais baixa também - O desempenho do mês de maio foi favorável também para o cumprimento de um segundo objetivo do Programa de Racionalização de Energia da Assembléia de Minas, o de reduzir os gastos com energia elétrica. O corte de 18,2% no consumo de energia promoveu uma economia nos gastos com energia de 24,2%. A conta passou de R$ 73 mil 290, referente ao consumo de abril, para R$ 56 mil 614, a serem pagos sobre o consumo de maio, o que corresponde a uma redução de R$ 17 mil 676.

O gerente-geral, Cristiano Félix dos Santos Silva, explica que, pelo tipo de contrato que a Assembléia tem com a Cemig, fixando uma cota-contratada a preços mais baixos e um valor mais alto para o volume excedente, potencializou-se o resultado da redução no consumo de energia, possibilitando uma economia maior na conta. "Nós diminuímos o nosso consumo excedente, que tem um custo mais alto e reduzimos também os gastos nos horários de pique, quando a energia sai a um preço maior também", explicou Cristiano Félix dos Santos.

Comparativo do consumo de abril e maio em kWh

2001 Abril Maio % de economia

Edifício Tiradentes 92.315 76.827 16,78

Palácio da Inconfidência 272.400 220.800 18,94

Escola do Legislativo 7.600 5.280 30,53

GMS/Aslemg 31.673 27.368 13,59

Estacionamento Dias Adorno 266 150 43,61

Garagem D 0 101 -

Total 404.254 330.526 18,24%

Redução em Reais (R$) 73.290,06 55.614,32 24,12

 

Responsável pela informação: Assessoria de Comunicação - 31-32907715