Comissão debate interiorização da TV Minas

A falta de recursos é a principal dificuldade para que o sinal da TV Minas chegue a todo o interior do Estado. Isso é...

26/04/2001 - 11:59

alinfor.gif (4077 bytes)



Comissão debate interiorização da TV Minas

A falta de recursos é a principal dificuldade para que o sinal da TV Minas chegue a todo o interior do Estado. Isso é o que foi dito à Comissão de Transporte, Comunicação e Obras Públicas, nesta quarta-feira (25/4/2001), por representes do Departamento Estadual de Telecomunicações e da Rede Minas de Televisão. A Comissão ouviu o diretor-geral do Detel, Alberto Luiz Santoro Lima e o assessor de planejamento da Rede Minas, Filocarmo Ferreira Braga, que falaram sobre as dificuldades de implantação de telefones na zona rural e o fato de algumas cidades situadas em áreas fronteiriças não receberem os sinais de televisão dos programas regionais gerados no Estado.

De acordo com dados fornecidos por Alberto Santoro, há, até o momento, cerca de 500 pedidos para implantação de telefones em locais com menos de 300 habitantes; e o projeto que previa a liberação de R$ 5 milhões do orçamento para investimento na expansão do sinal da TV Minas para todo o Estado foi vetado pelo governador. A importância social do Detel foi destacada pelo diretor-geral. Segundo ele, a integração entre as cidades mineiras, que seria decorrente do processo de interiorização dos sinais da TV Minas e da instalação da telefonia rural, fica difícil pelo fato de faltarem recursos, embora os projetos estejam prontos. "Seriam necessários R$ 4 milhões para levar o sinal da TV Minas a todas as cidades do Estado e R$ 2 milhões para instalação de telefones rurais", afirmou. Para os deputados Doutor Viana (PMDB), Arlen Santiago (PTB) e Rêmolo Aloise (PFL), o valor do investimento é pequeno frente à importância social do projeto de expansão da comunicação em Minas, que diminuirá desigualdades no Estado.

A fiscalização de TVs Educativas em Minas Gerais deveria, segundo Arlen Santiago, ser mais eficiente. As TVs locais têm direito a duas horas para apresentar seus programas, sendo o restante do tempo garantido às programações da TV Minas. Ocorre que, em muitas cidades, o tempo destinado às emissoras locais está sendo extrapolado, privando os telespectadores das notícias de todo o Estado. Uma alternativa citada por Alberto Santoro e que está sendo objeto de estudo no Detel é a possibilidade de parceria com a iniciativa privada. Tentativas de parceria com a Telemar já foram e estão sendo feitas, embora, na opinião de Santoro, serão em vão, uma vez que não existe interesse, por parte da Telemar, em colocar telefones em locais onde o custo-benefício não dê retorno financeiro à empresa.

O deputado Gil Pereira (PPB) disse que cabe aos deputados da Comissão reivindicar, junto ao governador do Estado, Itamar Franco, recursos do Tesouro para investimentos na telefonia rural.

O Projeto de Lei (PL) 1.376/2001, do deputado Agostinho Silveira (PL), que dispõe sobre a obrigatoriedade de placas de sinalização nas rodovias estaduais, foi redistribuído para o deputado Doutor Viana (PMDB), que apresentou parecer de 1º turno favorável, na forma do substitutivo nº 1, da Comissão de Justiça. O parecer foi aprovado.

PRESENÇAS - Participaram da reunião os deputados Arlen Santiago (PTB), que a presidiu; Doutor Viana (PMDB), Rêmolo Aloise (PFL), Gil Pereira (PPB), Márcio Kangussu (PPS), Durval Ângelo (PT) e Luiz Fernando Faria (PPB). Também estiveram presentes o diretor-geral do Detel, Alberto Luiz Santoro Lima; o assessor de Planejamento da Rede Minas de Televisão, Filocarmo Ferreira Braga; o diretor Administrativo Financeiro do Detel, Alexandre Azevedo; o técnico da Divisão de Manutenção do Detel, Tito Messala e os assessores do Detel Alessandra Marques e Saulo Fonseca de Araújo.

Responsável pela informação: Assessoria de Comunicação - 31-32907715