Comissão discute municipalização da rodoviária

A Comissão de Transporte, Comunicação e Obras Públicas reuniu-se, nesta quarta-feira (09/08/2000), para discutir, com...

10/08/2000 - 08:32

alinfor.gif (4077 bytes)



 

Comissão discute municipalização da rodoviária

A Comissão de Transporte, Comunicação e Obras Públicas reuniu-se, nesta quarta-feira (09/08/2000), para discutir, com convidados, a municipalização do terminal rodoviário de Belo Horizonte. O deputado Bilac Pinto (PFL), autor do requerimento que pediu a audiência, disse que é preciso ouvir a Prefeitura e o Estado para chegar a uma conclusão que atenda os usuários de transporte da capital e região.

O representante do Departamento de Estradas de Rodagem de Minas Gerais (DER/MG), João Afonso Machado, falou que o terminal transcende os limites de Belo Horizonte, é público e de responsabilidade do Estado também com as 853 cidades que interliga. Ele explicou que o terminal passa por processo de licitação e que o DER/MG está aberto a sugestões que possam ser agregadas ao processo.

Também compareceu à reunião, representando a BHTrans, João Luiz da Silva Dias. Ele salientou o fato de que o terminal está mal localizado. "O grande movimento atrapalha o tráfego no centro da cidade. Além disso, a rodoviária está obsoleta. As escadas são muito íngremes e estreitas para passageiros com tanta bagagem", completou. A BHTrans tem o projeto de transformar a rodoviária em um terminal urbano para o BHBus, projeto que interliga linhas de ônibus e metrô da cidade.

A Associação Mineira dos Usuários de Transporte (AMUT) estava representada por Marco Aurélio Carone. Carone disse que BH não é a solução e sim o problema; e que os moradores da região metropolitana devem ser respeitados. Ele ainda pediu que os trabalhos da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Administração do Terminal Rodoviário (Adter) não atrapalhe o processo de licitação do terminal.

A região metropolitana também foi a preocupação do deputado Eduardo Brandão (PMDB). Ele disse que o programa BHBus não atende esta população. Para ele, a licitação está sendo feita de forma transparente e existem interesses por trás das denúncias que têm sido feitas na imprensa.

João Afonso Machado acredita que as virtudes e defeitos do terminal são sempre abordados, e que existem teses contra e a favor de sua localização. Segundo ele, os impactos no trânsito ocorrem apenas em determinadas datas, como Semana Santa e Carnaval; e, se o terminal fosse urbano, estes problemas seriam ainda maiores. No entanto, João Luiz Dias disse que, no caso do transporte urbano, o desembarque é rápido, já que os passageiros não carregam malas, como no caso do transporte intermunicipal.

O diretor presidente da BHTrans, Jafete Abrão Jacob, disse que a municipalização é uma decisão da Prefeitura e que ele vai tentar a transferência do terminal para o projeto BHBus como foi proposto. Em nome do prefeito de Belo Horizonte, Célio de Castro (PSB), ele pediu ajuda da Assembléia para a implantação do projeto. Também estava presente o diretor geral do DER/MG, Flávio Goés Menicucci.

Presenças

Compareceram à reunião, além dos convidados, os deputados Álvaro Antônio (PDT), presidente da Comissão de Transporte, Bilac Pinto (PFL), Dinis Pinheiro (PSD), Olinto Godinho (PTB), Durval Ângelo (PT) e Eduardo Brandão (PMDB).

 

 

 

Responsável pela informação: Marcela Vilas Boas- ACS - 31-2907715