Propostas educacionais para o problema da segurança

O presidente da Associação dos Delegados de Polícia do Estado do Rio de Janeiro, Wladimir Sérgio Reale, afirmou, dura...

07/07/2000 - 08:52

alinfor.gif (4077 bytes)



 

Propostas educacionais para o problema da segurança

O presidente da Associação dos Delegados de Polícia do Estado do Rio de Janeiro, Wladimir Sérgio Reale, afirmou, durante a teleconferência "Segurança Pública: o papel do Estado e da sociedade civil", que o Plano Nacional de Segurança Pública - lançado recentemente pelo governo federal - deveria ter, como uma das bases principais, propostas de treinamento e profissionalização dos policiais. Ele foi o quarto expositor da teleconferência, durante a manhã desta quinta-feira (06/07/00), no Plenário da Assembléia Legislativa de Minas Gerais. Segundo o expositor, a desvinculação de receitas para as Polícias Civil e Militar também seria uma medida benéfica.

De acordo com Reale, desde a Constituição de 1988 a questão da segurança não se revelou como prioridade efetiva e sim como preocupação efetiva, já que tem ameaçado a sociedade civil. "A única forma de combate à criminalidade são ações preventivas na raiz do problema, como desemprego e narcotráfico", acentuou. Sobre o sistema de execução penal, o presidente da Associação de Delegados do Rio de Janeiro destacou ser este o problema principal. "Não adianta o Ministério Público funcionar bem, se o Poder Judiciário não se adequar a esse funcionamento e muito menos se o sistema carcerário não for eficiente", acrescentou.

O presidente da Associação dos Delegados de Carreira da Polícia Civil de Minas Gerais, Victor Hugo Moreira de Resende, falou sobre a atuação da polícia. "O trabalho não tem sido valorizado e há falhas, mas, para combatê-las, é preciso respeito pelas polícias e também pela sociedade", comentou. Outro ponto abordado por Resende foi a violência social como conseqüência direta do descaso dos governantes. "Faltam envolvimento, dinamismo e reformas rápidas para o problema da segurança pública", acrescentou.

Unificação das polícias - O presidente da Associação dos Oficiais da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros Militar de Minas Gerais, major Domingos Sávio de Mendonça, afirmou que apenas a elaboração de leis não resolve o problema da segurança pública. Mendonça citou o Estatuto da Criança e do Adolescente, elaborado há mais de 10 anos, que, segundo ele, está ultrapassado. "Olhem a situação dos menores infratores na rua e terão essa comprovação". O major, que é contra a unificação do comando das Polícias Civil e Militar, afirmou, na teleconferência, que "a unificação não resolverá o problema."

A teleconferência "Segurança Pública: o papel do Estado e da sociedade civil" continua na tarde desta quinta-feira (06/07/2000), com a discussão do tema "Formas de envolvimento da comunidade".

 

Responsável pela informação: Janaina da Cunha - ACS - 31-2907715