Pronunciamento

Discurso

Autor:
DEPUTADO DOUTOR JEAN FREIRE

Data: 24/05/2016   Hora: 14:00


Partido:
PT


Tipo:
Discurso


Resumo:
Critica a predominância nas discussões de temas relacionados à situação política do governo federal e defende a necessidade de o Legislativo estadual retomar os debates dos temas realmente relevantes para a população do Estado. Solicita aos parlamentares da oposição que não atuem com o objetivo de impedir a administração do governador Fernando Pimentel.


Assunto:
ADMINISTRAÇÃO ESTADUAL.
ADMINISTRAÇÃO FEDERAL.
(ALMG).
EXECUTIVO.


Aparteante:
ROGÉRIO CORREIA, GUSTAVO VALADARES, PAULO GUEDES


Reunião:
Tipo: ORDINÁRIA Número: 33 ª Data: 24/05/2016 Hora: 14:00


Legislatura: 18 ª Sessão Legislativa: 2 ª Tipo da Sessão: ORDINÁRIA


Publicação: Diário do Legislativo em 01/06/2016 Pág: 63 Col: 1


33ª REUNIÃO ORDINÁRIA DA 2ª SESSÃO LEGISLATIVA ORDINÁRIA DA 18ª LEGISLATURA, EM 24/5/2016

Palavras do deputado Doutor Jean Freire

O deputado Doutor Jean Freire* – Sr. Presidente, caros colegas deputados e deputadas, pessoas que nos acompanham pela TV Assembleia, é uma satisfação imensa, mais uma vez, subir a esta tribuna para fazer uso da palavra.

Sr. Presidente, semana passada alguns oradores me precederam aqui, entre eles o deputado Léo Portela, que subiu a esta tribuna e falou de um tema que ele defende muito: a questão da família. Com muita convicção ouvi a defesa do deputado Léo Portela. O deputado Deiró Marra subiu a esta tribuna e fez uso da palavra para abordar a questão do meio ambiente, da mineração, do desenvolvimento da sua região. A deputada Geisa Teixeira subiu a esta tribuna para falar sobre as conquistas da região Sul de Minas, das obras entregues pelo governador do Estado naquela região. O deputado Celinho do Sinttrocel subiu a esta tribuna para falar da paralisação das obras da duplicação da BR-381.

Por que citei aqui os deputados Léo Portela, Deiró Marra, Geisa Teixeira e Celinho do Sinttrocel? Porque os quatro que me antecederam – e, naquela semana, eu esperava fazer uso da palavra – trouxeram a esta tribuna temas importantes. Pensei se dali não estaríamos iniciando um novo ciclo de debates, deputado Léo Portela, trazendo para cá temas que as pessoas que estão nos acompanhando esperam de nós, desenvolvendo esses temas, colocando as nossas ideias e debatendo isso.

Nos últimos meses presenciamos tomar conta deste Plenário a questão do governo federal. Aqui e em Brasília o tema era só esse, tomava conta essa questão. Não se contentaram até o momento de estabelecer o que chamo de golpe e que a própria presidenta Dilma chama também; ela que foi chamada para explicar no Supremo. Mas creio que agora não há mais necessidade de explicar, pois o que aconteceu ontem, estampado na Folha de S. Paulo, já explica.

Falo isso porque ouvi aqui hoje dizerem que o governador do Estado não tem credibilidade, que o governador do Estado não pode governar o Estado. Quem dá essa credibilidade são os eleitores que o elegeram no primeiro turno. Aí fico pensando no que falaram após as eleições presidenciais: que não deixariam a presidenta Dilma governar. É verdade, assim o fizeram. E agora querem trazer o foco para o Estado de Minas Gerais. Ouvi aqui deputados falarem que o governador não está governando e não vai governar. Eu pediria aos companheiros, a todos da oposição, a todos: deixem o homem trabalhar.

O que vai definir depois se vem para o Plenário para a gente votar ou não é um segundo passo. O Estado precisa andar. A meu ver, não devemos trazer essa temática para cá. Se for necessário, vamos trazê-la; se for necessário, estamos prontos para fazer o embate. Mas temos de pensar que os mineiros esperam mais de nós. Toda vez que subo aqui para defender um tema – não tive a felicidade de os que me antecederam hoje terem sido os mesmos que me antecederam na semana passada, que trouxeram temas importantes –, os que me antecederam vêm sempre para o ataque, para o ataque, para o ataque; vêm sempre dizer, como ouvi agora há pouco o deputado que me antecedeu dizer que o SUS foi um desastre nos últimos 13 anos. O deputado fala isso. Mas o deputado não teve coragem de falar aqui deste governo, deputado Cristiano, que disse que não ia cortar programas sociais; deste governo, que disse que ia honrar os compromissos com a saúde e a educação, deputado Rogério, e a primeira coisa que fez foi atacar as conquistas sociais. Está aqui, não são palavras minhas. Este governo interino que aí está, deputado Léo, disse que é preciso revisar o limite para despesas com saúde e educação. Não ouvi esse tema aqui. Falam dos 13 anos do governo do PT, mas não vim aqui falar desses cortes. Não cogitei. Não ouvi o deputado que me antecedeu dizer que o ministro da Saúde, interino – espero que assim o seja –, disse, deputado Rogério, há poucos dias, que o SUS é grande demais, que precisamos rever o SUS. Então, meus amigos, pau que bate em chico bate em francisco. Precisamos ter o mesmo discurso para qualquer governo.

O deputado Rogério Correia (em aparte)* - Deputado Doutor Jean, também escutei com atenção a histeria da oposição nesta Casa. Eles realmente ficam nervosos e histéricos quando vislumbram uma possibilidade de chegar ao governo sem voto. Já ficou provado que Minas Gerais não quer o PSDB governando Minas. Aécio Neves, o decadelatado Aécio Neves tomou uma surra tão grande, mas uma surra tão grande, do ponto de vista nacional e estadual, que faz com que o PSDB queira sempre chegar ao governo sem voto. Para eles, é o que disseram aqui: “Vamos parar a Assembleia Legislativa, vamos fazer greve, nada vai funcionar. O Estado de Minas não funcionará, a gente fará eleição indireta e chegará ao governo sem ter ganhado as eleições”. É sempre assim. Virou moda para o PSDB pregar golpe.

Agora um governador está sendo investigado, mas nada foi provado, sequer foi aberto o procedimento no STJ, e a oposição já fala em derrubar o governador caso seja aberto apenas o procedimento de investigação. Olhem o que a oposição prega: “Se o processo de investigação do governador for aberto, ele deve ser afastado”. E o PSDB pula para dentro do governo, que é o que, provavelmente, estão querendo. Tucanos e tucanoides. Então o que querem? Novamente entrar no governo sem voto, sendo que tomaram uma surra nas eleições, no 1º turno, em quase toda Minas Gerais.

Então é preciso dizer ao povo mineiro, com muita clareza: investigações são investigações. Investigar um governador de Estado não dá direito à oposição de fazer tomada de poder através do Judiciário. Isso nunca aconteceu no Brasil. Mas agora a oposição, tucanos e tucanoides, coloca isso na ordem do dia, hoje. Golpistas. Golpistas lá querem ser golpistas aqui.

Eles precisam avisar ao povo que estão querendo afastar aquele em quem o povo votou. Ou não foi uma votação estrondosa? Por que não pedem para afastar o senador Aécio Neves, que é decadelatado, que já está no STF, em cuja cabecinha o Gilmar Mendes passa a mão? Em toda delação que existe o Aécio Neves é denunciado muito mais do que isso que está acontecendo aqui. Muito mais. Ele é decadelatado. Isso eles não dizem. Tucanos e tucanoides acham que moralidade é só para o outro. Os deles são sempre imunes a qualquer crítica. E assim eles funcionam, Doutor Jean.

Vejam bem, não querem deixar a Assembleia funcionar. Vêm aqui e dizem isso claramente. Se formos votar reajuste para servidores, ele não será votado, porque não deixam funcionar. É bom o Estado cair em desgraça. Quanto pior, melhor para a oposição, para os tucanos e para os tucanoides. Assim eles funcionaram no Brasil o tempo inteiro. E querem fazer a mesma coisa com Minas Gerais.

Jean, V. Exa. está certo: não podemos nos deixar intimidar por esses golpistas, de jeito nenhum. E é preciso que o movimento social saiba disso, e até digo por quê. O governador não tem nada a temer e deixa que haja investigação. E ele será investigado porque isso é questão da Justiça. O STJ vai investigar, e a Assembleia Legislativa vai dizer se o governador tem que ser afastado para ser investigado. No meu entender, não precisa. Por que afastar um governador para ser investigado? Se ele for culpado, aí, sim, é óbvio que tem que ser afastado, mas para ser investigado? Imaginem, o senador Aécio Neves já devia estar fora do Senado há muito tempo. Quantas vezes já foi investigado ou já foi para o Supremo? Duas vezes no Supremo, e não foi afastado. Por que não vieram aqui pedir o afastamento do senador Aécio Neves, decadelatado, cujo nome está lá no STF para ser investigado? E o governador tem que ser afastado? É golpe. Eles pregam nitidamente o golpe e não querem nem que o Legislativo veja o que está acontecendo, já querem o golpe lá.

Então, Jean, nós é que precisamos fazer essa denúncia aqui, porque esses golpistas não se cansam, não gostam de voto, nunca gostaram. É como a UDN, que nunca gostou de voto. E assim governaram o Brasil na ditadura militar por muito tempo, Paulo Guedes. Assim eles governaram o Brasil por meio da ditadura militar. Têm medo de povo, têm medo de voto, golpistas, são o que são. E agora pregam a saída do governador para ser investigado, Paulo Guedes. O Aécio Neves não está sendo investigado, não está no STF, já não foi do Janot para o STF? Por que não afastaram Aécio Neves, o decadelatado? Aliás, o último que falou disse que ele será o primeiro a ser comido na Lava Jato. O Jucá falou claramente, em alto e bom tom. Todos delatam Aécio Neves, e a oposição está preocupada só com o Pimentel. Sabem por quê? Eles são seletivos. Os deles não podem ser investigados.

Furnas, nada disso pode ser investigado. Eles não permitem, junto com Gilmar Mendes, com a imprensa golpista e os setores do Judiciário. Eles são assim. Jean, eles vão enrolando, enrolando, enrolando e apontando para o rabo dos outros com um rabo enorme que têm. Só há dois decas em Minas Gerais: o América Mineiro, em homenagem ao Alencar – vamos lembrar –, que é decacampeão; e o Aécio, que é decadelatado, mas logo será undecadelatado, porque, quando vier a conversa do Renan com o outro moço da Petrobras e a do Sarney, como veio a do Jucá, vai aparecer Aécio de novo. Todo mundo contra o Aécio.

Queria fazer esse aparte para denunciar. Estão querendo dar golpe em Minas. Atenção, povo mineiro: querem tirar o governador, que deu uma surra no Aécio, para fazer voltar o PSDB e mamar nas tetas do governo sem voto. É isso que querem fazer.

O deputado Doutor Jean Freire* – Aliás, deputado Rogério, sempre vejo deputado subir a esta tribuna e colocar um áudio para as pessoas ouvirem. Coloquem o áudio de ontem. Coloquem o áudio do que a Folha mostrou. Coloquem para a gente ver, porque o senador que aparece mais em delação, mais em áudio do que em seu estado, deputado Rogério – e ontem apareceu mais uma vez –, não o vi bravo, assim como não o vi desafiar o Delcídio, não o vi desafiar o Jucá. Então coloquem, subam aqui e façam a mesma coisa. Coloquem aqui o áudio para que todo o povo mineiro escute o que está sendo tramado.

Aliás, deputado, não poderia ter outro cargo melhor para ele, o do planejamento. Não poderia ter outro cargo melhor. Mostra tudo que estava sendo planejado. Ele planejou tudo. Ele e, como V. Exa. lembrou muito bem, tantos outros que não devem aparecer por aí.

Para não ser descortês, companheiro Paulo, passarei a palavra ao deputado Gustavo Valadares por um minutinho, antes de eu terminar minha fala.

O deputado Gustavo Valadares (em aparte)* – Deputado Doutor Jean Freire, quero agradecer-lhe o senso democrático. Tentarei ater-me a esse um minuto que tenho de seu pronunciamento.

Então, o que há são duas coisas distintas. O Deputado Rogério Correia adora fazer confusão na cabeça do eleitor, na cabeça daqueles que por vezes não estudam a fundo as situações, os casos concretos. Deputado, V. Exa. conhece a situação de Pimentel. Ele está indiciado, provas já foram colhidas. A Polícia Federal já colheu as provas. A delação de Bené veio depois de provas colhidas. Ele já foi denunciado pela Procuradoria-Geral da República ao Superior Tribunal de Justiça, deputado Rogério Correia. É muito diferente, deputado, de pedir o início da abertura de um inquérito para apurar. Não engane a população, não seja leviano. Não tente enganar os mineiros.

Pimentel, senhoras e senhores, está indiciado. Terá um prazo de mais 15, 20, 30 dias. Ganhará uma sobrevida, porque a Procuradoria-Geral de República, na pessoa da subprocuradora, pediu para incluir a delação de Bené, que dá mais R$10.000.000,00 ao já indiciado governador de Minas. Aécio não tem indiciamento nenhum, e não terá. Não terá.

Deputado Doutor Jean Freire, fica aqui o meu respeito a V. Exa. pelo senso democrático. Tenha certeza de que, todas as vezes em que eu estiver na tribuna, V. Exa. terá todo o direito de falar. Sempre haverá um contraditório justo. Muito obrigado pelo aparte.

O deputado Doutor Jean Freire* – Tenha a certeza de que aproveitarei.

O deputado Paulo Guedes (em aparte)* – Fico olhando, Rogério, a forma teatral como o deputado Gustavo Valadares vem aqui acusar o governador Fernando Pimentel. Primeiro, Gustavo, os deputados do PSDB, a bancada do PSDB, estão correndo de dar explicações assim como o diabo corre da cruz. Há a delação, a gravação da Folha de S. Paulo de ontem. Vocês estão querendo esconder o problema, a grande trama nacional, que foi o golpe arquitetado por Aécio e conduzido por Anastasia. Diga-se de passagem, esses, sim, deveriam perder o mandato por uma série de motivos, Doutor Jean.

Primeiro, porque desviaram R$8.000.000.000,00 da educação e da saúde em Minas. Segundo, porque construiu dois aeroportos em propriedades particulares de sua família. Terceiro, porque dirigiu embriagado, sem carteira, estando a carteira vencida. Quarto, porque é delatado em todas as delações premiadas e está sendo protegido por alguns membros do Judiciário e pela grande mídia.

Não tem mais jeito. A população já descobriu, Rogério Correia. Não tem mais jeito. O Aécio, como bem disse o Sérgio Machado, na gravação, ontem, com Romero Jucá, “é o próximo a ser comido”. Pensem claramente. “Conhecemos o Aécio.” Está lá na delação. “Conhecemos o esquema dele.” Conhecemos o esquema do Aécio.

Na gravação, consta: conduzíamos o esquema; fazíamos parte; sabemos como fizemos quando votamos o presidente da Câmara. É assim que foi, está gravado. Isso é muito grave. O Aécio está correndo de todo mundo. Tem de dar explicações, tem de ser punido, tem de ser afastado, urgentemente, como afastaram o Delcídio e o Jucá. O Aécio precisa ser afastado.

Eles não têm moral para cobrar nada de ninguém aqui, na Casa.

O deputado Doutor Jean Freire* – Obrigado.

* – Sem revisão do orador.



Compartilhe:
Twitter Facebook
Email Versão para impressão

Perguntas Frequentes

  • Que pronunciamentos estão disponíveis no portal?

    Estão disponíveis os pronunciamentos de deputados feitos nas reuniões de Plenário e em eventos institucionais como seminários legislativos, fóruns técnicos e ciclos de debates. Podem-se pesquisar declarações de voto; discursos e apartes; questões de ordem; e decisões do presidente da Assembleia sobre os trabalhos legislativos.
    Também estão disponíveis pronunciamentos feitos por palestrantes, debatedores e demais participantes nos eventos citados.
    O resultado de pesquisa exibe pronunciamentos integrais a partir de 2001. Dados referenciais estão disponíveis desde 1988.

  • Quando os pronunciamentos estão disponíveis para consulta no portal?

    Os pronunciamentos estão disponíveis para consulta no dia seguinte ao de sua publicação no diário oficial do Estado.

  • Os pronunciamentos são editados antes de serem liberados?

    Os pronunciamentos não são editados. O que é feito, ao final das reuniões do Plenário, é a revisão e a montagem das notas taquigráficas dos discursos.

Veja também