Notícias

Moradores de Brumadinho cobram restauro de igreja com mais de 300 anos

Atraso na conclusão de obras de recuperação é alvo de críticas da comunidade de Piedade do Paraopeba.

18/07/2023 - 19:39
Imagem

Moradores de Brumadinho (Região Metropolitana de Belo Horizonte) cobram a conclusão das obras de reforma da Igreja Matriz de Nossa Senhora da Piedade, que fica no distrito de Piedade do Paraopeba. 

Em reunião da Comissão de Assuntos e Municipais e Regionalização da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) realizada nesta terça-feira (18/7/23), eles criticaram a falta de transparência do processo de restauração, conduzido pela prefeitura.

Botão

As obras de restauro tiveram início em 2018. Mas a população reclama que não tem acesso a informações sobre ações já realizadas, previsão de conclusão das obras e recursos necessários para finalização dos trabalhos. 

Os moradores de Piedade do Paraopeba criticaram a Câmara Municipal por não ter realizado uma audiência pública para prestar esses esclarecimentos à população. O prefeito Avimar de Melo Barcelos também foi criticado pela falta de transparência sobre o processo de reforma da igreja.

Em um vídeo divulgado na última sexta-feira (14), Avimar de Melo anuncia a liberação de R$ 2 milhões para a retomada das obras. Mas esse anúncio oficial foi alvo de muitas críticas. “Como ele chegou a esse valor? Será que esses R$ 2 milhões são suficientes?”, questionou o vereador Daniel Hilário. 

Áudio

Representante da prefeitura diz que obras foram discutidas com a população

O presidente do Conselho Municipal de Patrimônio Cultural, Webert Fernandes de Sousa, que falou em nome da prefeitura, rebateu as críticas e argumentou que todas as obras de restauração foram discutidas com uma comissão com representantes da comunidade de Piedade do Paraopeba e da Mitra Arquidiocesana, proprietária da igreja.

Ele esclareceu que o projeto foi dividido em três etapas. A primeira fase, que compreendeu o reforço estrutural da igreja, foi financiada com recursos do Fundo Municipal do Patrimônio Cultural. 

A segunda etapa, de restauração arquitetônica, contou com R$ 2,4 milhões captados das mineradoras Vale e Vallourec, por meio da Lei Rouanet. Porém, segundo Webert Fernandes, a extinção do Ministério da Cultura no governo Bolsonaro levou à paralisação do projeto. 

Paralelamente a isso, foram gastos R$ 365 mil em recursos municipais na restauração das imagens sacras do templo religioso. Agora, para finalizar as obras, a prefeitura também pretende aportar recursos próprios. 

Questionado pelos deputados João Vítor Xavier (Cidadania) e Leleco Pimentel (PT), Webert Fernandes não soube responder de onde viria esse dinheiro, uma vez que a ação não está prevista na Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) municipal. Ele tampouco soube informar uma previsão para o término dos trabalhos de restauro.

Os dois parlamentares criticaram a falta de respostas precisas e o anúncio feito pelo prefeito de Brumadinho. “Parece mais uma peça de publicidade do que uma resposta efetiva da prefeitura”, lamentou o deputado João Vítor Xavier.

O deputado Leleco Pimentel disse que vai cobrar essas informações da prefeitura e vai solicitar que o Ministério Público fiscalize a utilização de recursos públicos na reforma da Matriz de Nossa Senhora da Piedade. Esses requerimentos serão votados na próxima reunião da comissão.

Os dois deputados ainda apresentaram projeto que reconhece a relevância da igreja como patrimônio histórico e cultural do Estado. Eles acreditam que a aprovação de uma lei vai facilitar a preservação do templo religioso.

Vídeo

Igreja passou por diversas intervenções ao longo de sua história

A Igreja Matriz de Nossa Senhora da Piedade teve a construção iniciada em 1713. Segundo o professor da Escola de Arquitetura da UFMG Flávio Carsalade, que elaborou o projeto básico de restauro, trata-se de um marco da ocupação bandeirante da região.

O problema é que a igreja sofreu diversas intervenções ao longo de sua existência, o que dificulta os trabalhos de restauração. “Não há como voltar ao que nunca foi nem a uma suposta feição original que a edificação nunca possuiu”, explicou.

De acordo com o professor, intervenções realizadas nas décadas de 1960, 1970 e 1980 descaracterizaram a construção original. Muitos elementos artísticos teriam sido inclusive vendidos para colecionadores. 

O projeto de restauro prevê a recuperação dos atributos ligados à expressão barroca e a correção de proporções e do equilíbrio cromático da construção, além do reforço estrutural da edificação. Também estão previstas a substituição do coro, a troca do piso e a recuperação do forro da nave da igreja.

Adriano Luis Furini de Souza, da A3, empresa responsável pela restauração, garantiu que todas as decisões acerca das intervenções realizadas foram tomadas com a anuência dos moradores de Piedade do Paraopeba.

O engenheiro Roger Motta Campelo, responsável pelas obras de recuperação da estrutura de sustentação do templo religioso, alertou que é preciso executar ações de manutenção preventiva, de modo a evitar novos danos no futuro. “Não adianta fazer essa obra e esquecer do principal, que é a manutenção da estrutura da igreja”, afirmou.

Comissão de Assuntos Municipais e Regionalização - debate sobre a Matriz de Brumadinho
Comunidade de Brumadinho cobra conclusão da restauração de matriz histórica TV Assembleia
Áudio

Receba as notícias da ALMG

Cadastre-se no Boletim de Notícias para receber, por e-mail, as informações sobre os temas de seu interesse.

Assine